Chancel Mbemba chegou ao FC Porto na época passada para reforçar o eixo da defesa, mas a verdade é que o congolês tem sido utilizado noutras posições que não a de origem.

Em dez partidas, Mbemba fez quatro como defesa central, três como lateral direito e três no meio-campo defensivo. O adjunto do selecionador da República Democrática do Congo e treinador principal dos sub-23 falou sobre a polivalência do jogador.

“Ele não só tem capacidade para se adaptar a várias posições, como sobretudo o faz com rendimento. Mbemba não é um jogador que está ali só para tapar um buraco, mas que tem qualidade para desempenhar aquelas funções”, começa por dizer Christopher Oualembo ao jornal O Jogo.

“É claro que precisava de jogar mais para crescer e ter um ritmo competitivo que o ajudaria a afirmar-se enquanto jogador, mas respeitamos o FC Porto e a gestão que o Sérgio Conceição faz dos seus jogadores”, observou.

Oualembo, que representou a Académica como jogador em 2014/15 e 2015/16, explica ainda o que Mbemba pode acrescentar a cada posição.

“Como central sai bem com a bola, ganha os duelos quase todos e é difícil de ultrapassar (…) como lateral, além de ser consistente a defender, sabe projetar-se pelo corredor (…) como médio-defensivo é muito ativo em campo, trabalha bem na recuperação, é um chato para os adversários, porque pressiona muito.”

Mbemba terá oportunidade de acumular mais tempo de jogo na terceira eliminatória da Taça de Portugal, contra o Coimbrões, do próximo dia 19 de outubro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.