Jonas concedeu uma longa entrevista à BTV, onde falou da sua despedida dos relvados, da forma como chegou ao Benfica, do carinho por Luís Filipe Vieira e da relação com Bruno Lage e os colegas de equipa.

Chegada ao Benfica: "Quando vim para Lisboa negociar com o Benfica, ainda não tinha uma proposta concreta, mas vim logo de malas aviadas porque não queria ficar mais em Valencia. E quando dei por mim acabei por estar a negociar diretamente com o presidente. Foi nesse momento que começou uma relação muito boa."

Relação com Luís Filipe Vieira: "Identifico-me muito com o presidente, a quem aproveitei para agradecer pessoalmente. Ele tem uma humildade muito grande que mexeu muito comigo, bem como a proximidade que ele tem com os jogadores. Nunca tinha tido alguém assim, ele é um presidente genuíno, que trabalha muito para dar todas as coisas boas para nós, com um grande conhecimento e com muito carácter. Vou guardar para sempre muito respeito e carinho por ele."

Acordo para terminar a carreira: "Tinha mais um ano de contrato, se pensasse na questão financeira o que faria? Continuava. Foi a questão física, não continuaria a jogar futebol por causa desse problema [nas costas]. Fui acompanhando essas informações falsas. O acordo foi feito com respeito e carinho, o lado financeiro não foi a questão principal."

Manuel José e o fim da carreira de Jonas: "No inconsciente, nós nunca deixamos de jogar"
Manuel José e o fim da carreira de Jonas: "No inconsciente, nós nunca deixamos de jogar"
Ver artigo

Lesão nas costas: "Já há dois anos que tenho essa lesão na lombar. No último ano foi muito mais intenso, as dores, os treinos, as viagens... No início da época já comecei bem depois, em Setembro, e quando volto, volto confiante até dezembro, janeiro... Mas quando tive a segunda crise de dores, mandei uma mensagem para a minha família a dizer ‘a partir de agora vou ver se chego ao fim da época’. Já tinha dificuldades em jogar, chegava com muitas dores... Pensei em terminar em janeiro, fevereiro."

Conversas com Rui Costa, Tiago Pinto e Lage: "Falei com o Rui Costa e com o Tiago Pinto e eles disseram-me para não falar com o presidente… E quando falei com o Bruno Lage, foi fundamental, e ele explicou-me a minha planificação até ao fim da época, e ele disse-me que tinha de terminar como campeão, explicou-me tudo como ia ser e deu-me uma força. O facto de não ter viajado foi tudo programado com o Bruno, sou muito grato a ele… Quando nós estávamos em desvantagem quanto ao nosso rival, ele deu aquela força, foi terminar a carreira com chave de ouro."

VÍDEOS: Recorde todos os golos de Jonas na I Liga ao serviço do Benfica
VÍDEOS: Recorde todos os golos de Jonas na I Liga ao serviço do Benfica
Ver artigo

Dia da despedida: "No Brasil estava muito pensativo, mas já tinha definido que queria terminar a carreira no Benfica. Estou muito feliz por terminar a carreira aqui, era o que eu queria, o que eu desejava. Eu e a minha família queríamos muito isto. Foi pensado, conversado em família, e eu emociono-me com isto, mas fico feliz por ter terminado a carreira no tempo certo, porque a partir de agora não ia conseguir jogar aquilo que queria."

Último jogo na Luz: "Na altura da substituição foi uma mistura de muitas coisas. Vinha a cabeça que seria o último momento como jogador, veio à cabeça o início de tudo, até jogar em casa... Era um sonho que tive, ser jogador profissional, concretizei com muito trabalho, sacrifício. Estava muito sorridente, queria terminar a minha carreira assim, alegre, feliz [...] Sonhei com o golo, mesmo em 10 minutos. Mas foram mais de carinho com os companheiros."

Aos 35 anos, Jonas disse adeus aos relvados, no jogo de apresentação do Benfica aos sócios, que os 'encarnados' perderam por 2-1 com o Anderlecht.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.