Jorge Jesus discordou das palavras de Rui Vitória na análise a arbitragem no dérbi. O técnico explicou as mudanças no jogo.

Análise ao jogo: "Foi um jogo com duas partes distintas. O Benfica nos últimos 15 minutos da primeira parte esteve por cima. O Sporting deu muito espaço entrelinhas e as movimentações do Rafa e Zivkovic complicaram um pouco. A pressão sobre a bola estava a chegar tarde e o Benfica esteve melhor que o Sporting. Teve oportunidade por Samaris, mas as outras bolas são defesas do Rui. A grande oportunidade do jogo é de Bas Dost em frente a Varela e não quis assumir. Ambas as equipas quiseram ganhar. Houve uma organização defensiva muito forte e não deixaram criar muitas oportunidades de golo. Na segunda parte estivemos melhor, o Benfica deixou de ter espaço e poder ligar o jogo com tanta facilidade. Houve muitas jogadas de perigo, mas não houve grandes oportunidades de golo."

Que lhe pareceu a arbitragem? "A terceira equipa esteve muito bem. Se alguém tem razão de queixa é ao Sporting. Vou falar de factos. Aos 17 minutos o Rúben Dias fez chave sobre o Mathieu e aos 88 minutos tem de ser expulso. Agrediu o Gelson. São situações factuais. Não venho para aqui só falar e não dizer nada. Não deixa de ser uma grande arbitragem do Xistra. Sei que foi agressão porque já vi ao pormenor na televisão. VAR também pode ver... Em jogadas duvidosas se alguém pode lamentar é a equipa do Sporting"

Queixas de Rui Vitória neste jogo e no da primeira volta: "É a opinião dele, admito que a tenha. Estou a falar e a apresentar factos. Não apresento coisas que não são visíveis, que não aconteceram. Não dar significado ao que se fala, é curto. Eu falo do que aconteceu no jogo. Na primeira volta o golo do empate foi aos 92 minutos e de grande penalidade. Quem estava prestes a ganhar o jogo era o Sporting. Houve grande penalidade e Benfica empatou. Daqui a pouco começo a recuar e vou buscar o Pizzi."

Mudanças táticas durante o jogo: "Sabia que o William não ia jogar os 90 minutos, mas estando clinicamente curado nunca o podia deixar de fora. Tem qualidade muito alta. Sabendo que ia perder algumas coisas com o Bryan numa lateral, mas sabia que ia ganhar outras coisas em consistência defensiva. William é mais criador ofensivamente e tem qualidade para sair em transporte, mas não estava a acontecer muito isso no jogo e por isso é que o tirei. Puxei o Bryan para dentro e equipa ficou mais criativa. Surtiu efeito a mudança que fomos fazendo ao longo do jogo. O Misic entrou bem. Chegou em janeiro, mas tem cultura tática fácil, pode jogar em várias posições e consegue responder às ideias do treinador. O resultado não agrada nem a Benfica nem a Sporting, mas satisfaz mais o Sporting, ninguém tenha dúvidas disso."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.