O treinador Augusto Inácio disse hoje que não dará instruções aos jogadores do Aves para limparem cartões frente ao Belenenses, mas disse concordar com quem pensa de outra maneira, lamentando que, no futebol, "quem fala verdade seja martelado".

"Eu quero os melhores jogadores contra o FC Porto, o Benfica, o Sporting ou o Rio Ave, seja contra quem for, mas compreendo uma pessoa que tenha menos opções para certos e determinados lugares o faça e não tenho que criticar. Se entender fazer o mesmo, faço o mesmo", disse Inácio, à margem da antevisão ao jogo com o Belenenses, da 31.ª jornada da I Liga.

Mama Baldé, Jorge Felipe e Falcão estão no limite da suspensão e, se virem amarelo frente ao Belenenses, vão falhar a visita ao FC Porto, na 32.ª jornada. Inácio afasta polémicas, dizendo que, "o que tiver de acontecer no jogo, acontece", porque tem "alternativas", e falou em hipocrisia no futebol português.

"Eu estou de acordo com o presidente do Marítimo, uma pessoa não pode ser verdadeira, porque, se for verdadeira, é martelada publicamente. Eu pergunto: qual é a equipa que não faz a sua gestão de uma forma que lhe sirva os seus interesses? Todos fazem isso, todos, até os 'grandes'. As pessoas gostam tanto de transparência, mas o Petit foi tão transparente, tão transparente, que, com gasolina por cima, foi quase queimado e crucificado. Que hipocrisia que isto é no futebol português", afirmou.

Apesar da situação animadora do Aves, Inácio mantém o discurso cauteloso, confirmando sem detalhar que "existem outras coisas para além do futebol" a correr nesta altura, e insistiu na ideia de que os jogadores em risco de suspensão para a visita ao FC Porto poderão ser amarelados em "situações próprias do jogo" e não por indicação sua, mas, se o fizesse, por uma questão de gestão do plantel, ninguém teria moral para lhe apontar o dedo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.