Entrou melhor na partida a equipa orientada por Carlos Carvalhal e logo aos 3 minutos o capitão João Moutinho podia ter inaugurado o marcador. O médio ganhou em antecipação na área sadina mas o remate esbarrou em Ricardo Silva.

O Sporting assumia o jogo desde o início, pressionou o Vitória e a baliza de Nuno Santos era o único objectivo dos leões. Contudo, Collin comprometeu as intenções leoninas e após canto marcado por Neca cabeceou sem oposição e desfeiteou Rui Patrício.Ficou mal na fotografia a defesa leonina e os sadinos conseguiam 100% de eficácia: 1 remate,1 golo.

Atordoado pelo tento inesperado dos homens orientados por Manuel Fernandes, o Sporting retomou a toada de início de encontro e tomou conta das operações, com o Setúbal a ter de fazer pela vida.

Sem sufocar, o Sporting fez por merecer, pelo menos, o empate, mas algum azar e falta de astúcia impediram Izmailov e Liedson de bater Nuno Santos. No entanto, sempre que subia o Setúbal punha a defesa leonina em sentido e foi precisamente desse modo que os sadinos entraram no segundo tempo.

Contudo, se se pensava que Manuel Fernandes tinha mudado a estratégia, bastaram apenas mais alguns minutos para se perceber que no tapete verde de Alvalade se iria ver mais do mesmo, com o Sporting a comandar as operações e a encostar o Setúbal às cordas.

Aos 56’, Carlos Saleiro permitiu a Nuno Santos a defesa da noite, com um voo em grande estilo e poucos segundos depois Collin traía o esforço do colega e cometeu pénalti, ao derrubar o avançado português na área sadina.

Moutinho não falhou a conversão e deu o empate aos leões, ainda com meia hora para jogar.

Decidido a ganhar o desafio, Carlos Carvalhal decidiu apostar em Hélder Postiga e tirou Saleiro. Se a troca não foi consensual nas bancadas de Alvalade, bastaram breves instantes para se calarem as vozes discordantes.

Num lance às três tabelas, a bola acaba por sobrar para Postiga, que na primeira vez que tocou na bola facturou perante um desamparado Nuno Santos na baliza do Setúbal. Nova festa em Alvalade, com os jogadores verde e brancos a comemorarem efusivamente o golo que dava a cambalhota no marcador, mas, sobretudo, a felicitarem o autor do 2-1, já que Postiga não marcava há 31 jogos.

Até final, o Sporting ainda tremeu com os lances de bola parada do Setúbal mas soube manter o controlo da partida e preocupou-se essencialmente em segurar a preciosa vantagem, que lhe garante um total de 44 pontos no campeonato.

Com sete de vantagem sobre o Vitória de Guimarães, com esta vitória, os leões asseguram quase em definitivo o quarto posto e respectiva presença na Liga Europa da próxima época.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.