Graças Freitas lançou um apelo a Claque Super Dragões e aos demais adetpos de futebol para que ajudem na contenção da programação da COVID-19. Na habitual conferência de imprensa para dar conta da evolução da pandemia em Portugal, a Diretora-geral da Saúde lembrou que "o vírus está a circular, não desapareceu".

Uma resposta a uma pergunta sobre a ideia da claque Super Dragões, afeto ao FC Porto, de ir ao Estádio estádio do Famalicão, na próxima quarta-feira, a noite, apoiar a sua equipa, do lado de fora do recinto.

"A questão da lotação dentro dos estádios tem que ver com outros fenómenos, nomeadamente da comemoração dos golos, entradas e saídas... Enfim, é uma situação complexa. Nas imediações dos estádios não deve haver presença de adeptos, nem aglomerados nos cafés ou onde estão a passar as transmissões dos jogos. Isto é um apelo! O vírus está a circular, não desapareceu. Não podemos dar-lhe meios para se passar de uma pessoa para outra. Há que respeitar as regras! Apela-se à consciência de cada um", começou por referir Graças Freitas, lembrando que houve "um esforço enorme" para o regresso do futebol.

"Reconhecemos todos que [o futebol] era uma atividade importante, do ponto de vista económico e social. Foi um passo importante o recomeço do campeonato, foi um esforço enorme, agora todos temos de garantir que a época acabe em segurança e que nem adeptos, jogadores ou treinadores se infetam. A responsabilidade social tem de prevalecer, não vamos deitar tudo a perder, o que conquistámos foi com tanto esforço! Apelo aos adeptos para cumprirem as regras. Temos tido capacidade de sermos flexíveis e no futebol também o seremos. Vamos monitorizar muito bem as coisas e em cada momento será feita a avaliação do risco e as medidas vão adaptar-se consoante esses riscos e aos que projetamos que possam vir a acontecer", comentou.

Na comunicação com os jornalistas, Graças Freitas lembrou que "45 dias em confinamento foi um grande sacrifício", e deixou um apelo aos adeptos de futebol.

"Ter o futebol a funcionar foi uma vitória. Assistam aos jogos e comemorem, mas com as regras que estão em vigor", terminou.

Ao abrigo do protocolo estabelecido para o reinício da I Liga, os plantéis de Portimonense, Gil Vicente, Famalicão e FC Porto submeteram-se no domingo à primeira fase de despistagem obrigatória, com um período de antecedência de 72 horas a cada encontro.

A Primeira Liga regressa no dia 04 de junho, com o Portimonense a receber o Gil Vicente às 19h e o FC Porto a jogar em casa do Famalicão às 21h15.

Além da I Liga, também a final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de COVID-19, ainda em data e local a designar.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 372 mil mortos e infetou mais de 6,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 2,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.424 pessoas das 32.700 confirmadas como infetadas, e há 19.552 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.