Segundo avança esta quinta-feira o 'Jornal de Notícias', a FIFA instaurou um processo disciplinar ao Rio Ave pela venda do guarda-redes brasileiro Ederson ao Benfica na época 2015/2016.

O Rio Ave ficou com 50% do passe do jogador, que em 2017/2018 trocou o clube da Luz pelo Manchester City. Dessa mesma percentagem, 20% pertenciam à Gestifute do empresário Jorge Mendes.

A mesma publicação explica que a FIFA "terá descoberto infrações relacionadas com a participação de fundos de investimento bem como irregularidades no fornecimento de dados no Transfer Matching System (TMS)" - plataforma onde são registadas todas as transferências dos jogadores.

Mas, segundo o 'Jornal de Notícias', a transferência de Ederson não é a única que tem sido alvo de análise por parte do organismo máximo do futebol. A FIFA estará a avaliar as transferências de outros jogadores que representaram o emblema vilacondense.

Recorde-se que em dezembro de 2014, o comité executivo da FIFA tinha decidido proibir que investidores externos pudessem comprar a totalidade ou uma parte dos direitos económicos de um jogador para mais tarde receberam as mais valias de uma futura transferência do atleta.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.