O FC Porto venceu, este sábado, na Luz o Benfica por 2-0, em partida da 3.ª jornada da I Liga. Os golos dos azuis e brancos foram apontados por Zé Luís e Marega.

Sábado de agosto de muito calor no estádio da Luz, o palco que ia colocar frente a frente dois dos emblemas mais poderosos do futebol português. De um lado um Benfica que tinha mantido praticamente a estrutura do ano passado. Chegou o espanhol Raúl de Tomás para fazer de Félix. Por outro, 'um esquerdino' tem assumido a posição de lateral direito: O 'miúdo' Nuno Tavares.

Já o FC Porto é uma equipa pejada de revolução com as saídas de Felipe, Herrera, Óliver, Brahimi e Adrián López. Na baliza já não está Casillas. Chegou nesta época Marchesín para assumir o posto do guardião espanhol.

Para este clássico emergia a possibilidade de Bruno Lage bater mais um recorde: O técnico queria prolongar o percurso vitorioso, em que só tinha somado um empate no campeonato no banco do Benfica [Frente ao Belenenses]. Lage queria ser o primeiro técnico a somar quatro vitórias em jogos oficias sem sofrer golos.

Já no confronto nos bancos, os dois técnicos procuravam desempatar, já que cada um somou uma vitória cada na temporada passada: Uma na Taça da Liga e outra no campeonato.

Com vitórias robustas nas anteriores jornadas, tanto Conceição como Lage apostaram mas mesmas equipas. O timoneiro azul e branco manteve a aposta em Baró, com Corona a voltar a ser opção no lado direito. Do lado do Benfica, também tudo estava na mesma, com Nuno Tavares a voltar a assumir o lugar de André Almeida.

A primeira parte foi de um só sentido: Um FC Porto 'mandão' e com um Benfica a ver jogar e sem conseguir enquadrar um só remate na baliza. Mérito dos dragões que estancaram qualquer tentativa do Benfica em chegar ao último terço nos primeiros 45 minutos.

O primeiro sinal portista surgiu logo ao minuto 4´, num remate de Baró para as mãos de Vlachodimos. Com o avançar dos minutos, os dragões começaram a fazer estragos com rápidas transições ofensivas. Ao minuto 17´, Zé Luís levou tudo à frente, mas Rúben Dias tirou o pão da boca a Luiz Diaz.

Pouco depois foi novamente o guardião encarnado a negar o golo a Zé Luís, depois de um enorme passe de Marega a isolar o cabo-verdiano. Com a defesa do Benfica em desnorte completo, foi o FC Porto que chegou ao golo na sequência do lance. Aproveitando uma bola parada, - situações que são bem trabalhadas pela equipa de Sérgio Conceição - e após um corte defeituoso de Ferro, Zé Luís fez mesmo o primeiro da partida (23´). Caía assim por terra a possibilidade do recorde de Bruno Lage e os encarnados sofriam o primeiro golo da temporada. Era o quarto golo de Zé Luís em apenas dois jogos, depois do hat-trick apontado frente ao V. Setúbal.

Com o tento sofrido, o Benfica estava incapaz de reagir, caindo na teia montada pelos azuis e brancos. E quando perdia a bola, o FC Porto era demasiado forte nas transições. Rápidos na reação à perda e depois na frente com Luiz Diaz a causar desequilíbrios, os dragões colocavam em calafrio o último reduto encarnado.

Quase no término da primeira parte, o Benfica respondeu com um cabeceamento ao lado de Seferovic. Terminou dessa forma a primeira etapa, com o FC Porto com capacidade para pressionar alto e com o Benfica sem bola no último terço.

Para a segunda parte, dada a incapacidade de Samaris em construir, Lage lançou um homem com maior capacidade de posse: Taarabt para dar critério na construção.

Com a entrada do marroquino, o Benfica melhorou o seu jogo entrelinhas, e aumentou a capacidade para fazer entrar passes verticais. Contudo, os encarnados continuaram muitos nervosos lá atrás.

Vlachodimos continuava a ser o melhor do Benfica e ao minuto 49 evitou o golo, depois de um grande pontapé de Luiz Díaz. A toada mantinha-se a mesma, com o FC Porto mais confortável no jogo e com o extremo colombiano a fazer estragos na frente.

Ao minuto 62´, o Benfica esteve perto do golo. Rúben Dias lançou Seferovic, que se isolou mas falhou o golo de forma incrível. O lance acabou por ser anulado. Antes, Vlachodimos saiu da área para limpar uma bola de cabeça e quase originou o segundo golo dos dragões, mas Zé Luís não conseguiu rematar para a baliza deserta.

À procura de outro tipo de soluções no ataque, Bruno Lage lançou Chiquinho e tirou RDT. Já Conceição refrescou a equipa, lançando Tiquinho e Otávio para os lugares de Baró e Zé Luís.

Entraram mais tarde, Vinicius e Manafá. Saíram Fiorentino e Diaz nas duas equipas

Ao minuto 78´, Marega isolou-se, mas não conseguiu fazer o que parecia fácil. O maliano haveria de redimir-se ao minuto 87´. Novamente frente a frente contra o guardião do Benfica, desta feita não falhou.

Antes do final, Seferovic ainda enviou a bola para dentro da baliza, mas o lance foi anulado por fora de jogo.

Os dragões venceram de forma clara os encarnados. Com este triunfo, os azuis e brancos igualam o Benfica na tabela. Bruno Lage sofreu o primeira derrota no campeonato enquanto treinador das águias.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.