Com as polémicas em torno dos prémios dos administradores do FC Porto em tempo de aperto financeiro, o jornal Record revelou a tabela pela qual a administração azul e branca recebe as gratificações.

Segundo a referida fonte, o administradores além de rendimento fixo recebem uma compensação variável de acordo com a performance desportiva da equipa, "consubstanciada em percentagens sobre o respetivo salário bruto anual".

Ou seja, caso os dragões sejam campeões nacionais, os administradores recebem um prémio de 75% do seu salário, auferido no primeiro mês da época seguinte, em julho.

Em caso de triunfo na Champions, o valor seria de 120% de extra, 100% no caso de vitória na Liga Europa.

Em determinada altura, adianta o 'Record', o 2.º e o 3.º lugares valeriam 50% do salário em prémios para o Conselho de Administração, valor que acabou por cair em novembro de 2018. Os administradores renunciaram a qualquer prémio, caso a posição da equipa de futebol seja abaixo do 1.º lugar.

Com a ausências de títulos, nos quatro anos de conquistas do Benfica, não se conseguiu identificar qualquer tipo de prémios para o CA. Mas o título conquistado em 2017/2018, marcou o regresso às remunerações.

Diz o Record, que 11 milhões de euros couberam a jogadores e equipa técnica. Já o CA recebeu 1.3 milhões de euros em prémios.

Já Pinto da Costa terá visto o salário subir dos 400 mil euros, em 2010, para os 641.140 mil euros, com um prémio na ordem dos 500 mil euros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.