O FC Porto volta à liderança da I Liga, ainda que à condição, ao empatar 2-2 com o Rio Ave, no jogo de abertura da 31.ª ronda. Brahimi e Junio Rocha (autogolo) fizeram os tentos dos 'dragões' mas o Rio Ave recuperou e marcou por Nuno Santos e Ronan. Os 'dragões' desperdiçaram assim uma vantagem de dois golos e dois pontos, numa fase crucial da época. O Benfica pode aumentar para dois a diferença sobre os 'dragões' na liderança se vencer o SC Braga no domingo.

Conceição baralhou e, aquilo que no papel parecia um 4-3-3, era, afinal, o habitual 4-4-2, com mais mobilidade. Soares ficou no banco, entrou Corona para fazer companhia a Marega na frente, num ataque que contava com os criativos Otávio e Brahimi. Pepe recuperou o seu lugar no centro da defesa, atirando Militão para a lateral e Manafá no banco, onde o FC Porto tinha dois laterais direitos. O Rio Ave, a viver o melhor período na era Daniel Ramos (duas vitórias seguidas), não podia contar com Leandrinho, Nélson Monte e Diego Lopes (lesionados), Coentrão (castigado) e Galeno (impedido de jogar por estar emprestado pelo FC Porto).

Os homens de Vila do Conde entraram melhores e deram o primeiro sinal de perigo por Bruno Moreira, mas o remate do avançado saiu por cima.

Numa altura em que os pontos parecem valer mais, tal é a dificuldade para os conquistar nesta fase da época, os 'dragões' vão marcar no primeiro remate do jogo, aos 14 minutos: Brahimi acelerou pelo corredor esquerdo, flectiu para o meio e meteu em Otávio, que cruzou para o argelino marcar de cabeça. Um golo invulgar - o seu 13.º da época - do argelino que brilha mais com os pés. E ainda o Rio Ave fazia contas à vida e já havia o 2-0, aos 18 minutos, num remate de Marega que Junio Rocha desviou para a própria baliza. Um lance que nasce de um lançamento longo de linha lateral.

Com um futebol de toque curto, sempre apoiado, o Rio Ave ia tentando incomodar Casillas, principalmente pelas acelerações de Gabrielzinho na esquerda. Aos 45 minutos, Pepe teve uma intervenção decisiva a tirar o 'pão da boca' de Nuno Santos, após passe de Tarantini.

0 2-0 parece ter adormecido o FC Porto que voltou apático para o segundo tempo. Bruno Moreira teve na cabeça o 1-2 aos 49 minutos mas, quis tanto colocar a bola, que atirou por cima. Filipe ficou a questionar Militão, que estava a acompanhar o seu jogador.

A 'sonolência' do FC Porto parece ter contagiado o Rio Ave, pela forma como Brahimi se isolou, a passe de Marega, aos 56 minutos. Valeu o corte fantástico de Borevkovic, quando o argelino ia rematar. Aos 69 é Corona a ter boa oportunidade para marcar, após combinação com Marega, mas a bola bateu no joelho do mexicano e saiu pela linha de fundo.

O crescimento do FC Porto levou Daniel Ramos a procurar novas soluções, com as entradas de Ronan e Jamor, nos lugares de Bruno Moreira e Tarantini. Aos 73, um potente remate de Filipe Augusto foi devolvido pela barra de Casillas, já batido. Aos 81 minutos é Nuno Santos a pôr à prova Iker Casillas, num bom remate de pé esquerdo, defendido pelo espanhol, para o lado.

Momento aproveitado por Sérgio Conceição para refrescar o seu lado esquerdo, com a entrada de Manafá para o posto de Brahimi. O argelino saiu com cara de poucos amigos. Era preciso frescura física a atacar mas também um jogador com mais capacidade defensiva, para ajudar Militão na direita.

Depois de tanto ameaçar, o Rio Ave marcou finalmente, aos 85 minutos. Gelson Dala lançou Nuno Santos, o atacante correu para a área e 'picou' a bola sobre Casillas, fazendo um golo de belo efeito. Um golo que intranquilizou e muito o FC Porto, que teve muitas perdas de bola e sentia-se aflito para sair a jogar. Numa dessas perdas, de Danilo, a bola foi ter com Ronan que rematou contra as pernas de Alex Telles, mudou de tragetória e traiu Casillas, aos 90 minutos.

Nos cinco minutos de desconto, o FC Porto não conseguiu o tão desejado golo que lhe daria a vitória. No final, Conceição e os jogadores foram pedir desculpas aos adeptos dos 'dragões' que se deslocaram ao Estádio dos Arcos, e ficaram mais de um minuto parados a olhar para os apoiantes dos azuis-e-brancos nas bancadas, antes da habitual roda da equipa.

Os 'dragões' interrompem assim uma série de seis vitórias consecutivas, mas sobem à liderança da I Liga, com um ponto a mais que o Benfica, que só joga no domingo frente ao SC Braga. Em caso de vitória, os 'encarnados' aumentam para dois os pontos de vantagem sobre os 'dragões', ficando a faltar três jornadas.

Veja o resumo do jogo

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.