Ivo Rosa, juiz no caso E-Toupeira, não pretende ouvir todas as testemunhas sugeridas (17) pelo Benfica na abertura de instrução do caso E-Toupeira, tendo aceitado apenas ouvir quatro das testemunhas indicadas pelo clube da Luz.

De acordo com o Expresso desta segunda-feira, uma das testemunhas ouvidas pelo juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa é Luís Bernardo, director de comunicação do Benfica.

Segundo o semanário, o juiz de instrução disse que ouvir 17 pessoas iria apenas atrasar o processo, mas aceitou ouvir mais três testemunhas extraordinárias, que não constavam do primeiro pedido.

O julgamento está marcado para o próximo dia 23 de novembro, no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa.

O Ministério Público (MP) acusou dois funcionários judiciais, a SAD do Benfica e o seu assessor jurídico Paulo Gonçalves de vários crimes, incluindo corrupção, favorecimento pessoal, peculato e falsidade informática, no âmbito do caso “e-toupeira”.

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, tem insistido na legalidade do comportamento da Benfica SAD, numa reação à acusação.

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou também a instauração de um processo de inquérito, com base no comunicado judicial.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.