Continua o ´braço de ferro` entre a direção do Belenenses e da SAD do clube do Restelo. A direção liderada por Patrick Morais de Carvalho tentou recomprar os 51 por cento do capital da SAD, na posse da Codecity, mas o Tribunal Arbitral do Desporto travou as intenções do Belenenses.

Diz o jornal ABola, que a direção liderada por Patrick Morais de Carvalho admite recorrer aos tribunais comuns, para exigir o que entender ter direito. Além disso, o atual presidente do Clube de Futebol Os Belenenses está a preparar uma decisão mais radical, que será levado para aprovação dos sócios em Assembleia-Geral.

Com a impossibilidade de o clube recomprar os 51 por cento da SAD que está na posse da Codecity, Patrick Morais de Carvalho irá vender os 10 por cento da SAD que estão na posse do clube, saindo assim do capitla social da SAD. Depois de sair da SAD, o atual líder do clube irá criar uma nova equipa de futebol sénior, que, já na próxima época, irá para competir no Campeonato de Portugal. Essa solução depende, diz ABola, da autorização por parte da Federação Portuguesa de Futebol e do acordo da Associação de Futebol de Lisboa.

Se Patrick Morais de Carvalho avançar com esta atitude radical, a Codecity - que tem registados na Liga os direitos desportivos de participação nas competições profissionais - perderia o direito de usar o nome e o emblema do Belenenses, bem como o direito de utilizar o Estádio do Restelo. Pelo menos esse é o entendimento da atual direção do clube.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.