A candidatura do Braga ficou mais distante - está a seis pontos do líder Benfica -, mas a equipa de Domingos Paciência já disse que não pretende baixar os braços e o jogo com o Guimarães é mais um obstáculo a ultrapassar.

Importa ver a capacidade de reacção dos bracarenses à derrota da Luz (1-0) e ao alargar do fosso para o líder, tendo em conta que na sua perseguição está o FC Porto (terceiro na Liga) e que se apresenta agora mais perto (a cinco pontos).

Para o jogo de sexta-feira, com início marcado para as 18:00, a equipa bracarense não conta com o médio brasileiro Mossóro, que fracturou o perónio, e estará fora dos relvados por alguns meses.

Do lado do Vitória Guimarães, a equipa apresenta-se na "pedreira" depois de ter vencido em casa a Académica (1-0) e aproximar-se do Sporting na discussão pelo quarto lugar (está a dois pontos).

Os vimaranenses têm ainda o moral de terem sido os primeiros a derrotar o Braga nesta edição da Liga, ao que se seguiram - mais tarde - apenas mais duas derrotas dos “arsenalistas”, com o FC Porto (5-1), no Dragão, e Benfica (1-0), na Luz.

Em período de Páscoa, a 25.ª ronda do futebol nacional, distribui-se basicamente por sexta feira e sábado, com a quase totalidade de jogos, embora a visita do Benfica à Naval 1.º de Maio apenas se dispute segunda feira.

Com três jogos no arranque, a noite de sexta "oferece" ainda a recepção do Sporting ao Rio Ave, num jogo "imprevisível" e depois de ambos perderem os últimos jogos.

Os "leões", depois do caso disciplinar com Izmailov, perderam fora com o Marítimo (3-2), e o Rio Ave viu o Olhanense quebrar um longo jejum (não vencia fora desde 1974) e golear em Vila do Conde (5-1).

Com uma época atípica, de mais baixos do que altos, o Sporting tenta segurar o quarto lugar, situação muito aquém das vice-lideranças que nos últimos anos lhe deram a possibilidade de discutir o acesso à "Champions".

Sábado, entra em acção o FC Porto, com Hulk de regresso após longo castigo e capaz de fazer a diferença, como mostrou no Estádio do Restelo, com duas assistências e um golo no triunfo perante o “lanterna vermelha” Belenenses (3-0).

Os tetracampeões nacionais continuam na corrida ao título, ainda que a 11 pontos do Benfica. Outro palco possível para a equipa de Jesualdo é a luta pelo segundo lugar, que a colocaria em condições de lutar pelo acesso à Liga dos Campeões.

O FC Porto recebe sábado (20:15) o Marítimo, uma das quatro equipas (as outras foram Benfica, Braga e Sporting) que esta época o conseguiu derrotar, quando na primeira volta venceu no Funchal com um auto-golo de Rolando.

Para segunda-feira, quatro dias depois de defrontar na Luz o Liverpool na primeira “mão” dos quartos de final da Liga Europa, está reservada a "entrada em cena" do Benfica, com uma difícil visita à Naval 1.º de Maio (21:00).

Os "encarnados", que nos últimos 11 jogos da Liga empataram um (Cardozo falhou uma grande penalidade em Setúbal nos descontos, com 1-1) e venceram 10, procuram discutir cada partida em jeito de "final", como têm afirmado os seus jogadores, e o jogo da Figueira da Foz é mais um teste.

Numa época de goleadas, que coloca a equipa de Jorge Jesus com 61 golos marcados no campeonato, a Naval é teste "duro de roer" e na primeira volta foi das poucas que se viu derrotada pela margem mínima.

Um golo do médio espanhol Javi Garcia, aos 89 minutos, permitiu então que o Benfica vencesse por 1-0.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.