O novo treinador do Boavista, Daniel Ramos, afirmou esta sexta-feira que quer ver a equipa a jogar "um futebol mais atrativo, de que as pessoas gostem", na antevisão à receção ao Portimonense, esta sábado, a contar para a 15ª jornada da I Liga.

Daniel Ramos, que falava em conferência de imprensa, foi anunciado como novo técnico axadrezado no dia 18 de dezembro, tendo rendido Lito Vidigal com a equipa posicionada no nono posto da classificação, com 18 pontos, mais seis do que o Portimonense, 16º classificado.

A preocupação do novo treinador foi "preparar a equipa o melhor possível" para a estreia, que será diante de "um adversário valioso" num "jogo exigente".

"O Portimonense tem praticamente o mesmo plantel da época passada, não está na posição que o seu plantel merece, porque merece mais", considerou, acrescentando querer "começar da melhor forma, a vencer e se possível com uma exibição boa e convincente”.

O treinador boavisteiro referiu que o Portimonense utiliza "uma estrutura que não é muito usual, que se baseia num 3x4x3, tem um bom ponta-de-lança, Jackson Martinez, jogadores rápidos na frente, bons executantes e tem largura" e, por isso, concluiu, o Boavista precisa de estar atento a estes "sinais de alerta".

Daniel Ramos observou ainda que a equipa algarvia tem dado sinais intermitentes nos seus jogos, apresentando oscilações exibicionais entre as primeiras e as segundas partes.

"Não tem sido regular, mas não estamos à espera de facilidade", resumiu.

O técnico também disse que a sua ideia de jogo "mais atrativo" foi "bem aceite por todos" e coincide com os interesses do clube. Esses interesses "vão no sentido de valorizar toda a gente" através de "um futebol mais atrativo, de que as pessoas gostem".

"Não vou destapar o que vai ser a nossa estratégia. O que posso dizer é que o treino vai ser implementado e há naturalmente diferenças a vários níveis, porque cada treinador entra com as suas ideias", apontou, após ser questionado quanto ao que o separa das ideias do seu antecessor.

Daniel Ramos disse que encontrou "muitas coisas positivas" a que pretende dar seguimento e que são "mérito de quem aqui trabalhou" e admitiu também que poderá haver dúvidas na cabeça dos jogadores nesta fase de transição, sendo "natural que isso aconteça, pois faz parte da mudança".

"Há uma ideia de jogo que pode e vai ser melhorada e vai romper com determinados comportamentos do passado. Vou fazer valer as minhas ideias independentemente daquilo que se fazia", salientou.

Questionado sobre se o plantel boavisteiro carece de acertos, Daniel Ramos respondeu que "é cedo para dizê-lo", alegando que a primeira "preocupação foi preparar esta jornada", a primeira do novo ano.

O técnico espera ver o seu cunho pessoal neste primeiro encontro presente na "organização permanente da equipa", para saber o que fazer ante um opositor cuja classificação, segundo opinou, está abaixo do que é a sua valia.

Tal como Lito Vidigal, Daniel Ramos conta com o "apoio incondicional" dos adeptos boavisteiros, acenando-lhes com uma proposta de futebol mais sedutor face ao passado recente.

O Boavista, nono classificado, com 18 pontos, recebe o Portimonense, 16º, com 12, num encontro da 15ª jornada da I Liga portuguesa de futebol marcado para as 15:30 de sábado, no Estádio do Bessa, no Porto.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.