O processo eleitoral do FC Porto, previsto inicialmente para o dia 18 de abril, vai ser adiado sem data ainda definida, informou à agência Lusa Matos Fernandes, presidente da Assembleia Geral (AG) do clube.

No dia seguinte ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ter declarado estado de emergência em Portugal, devido à propagação do Covid-19, José Matos Fernandes informou os sócios do clube portista da suspensão das eleições.

“Tomei a decisão de suspender as eleições e remarcar apenas quando sairmos desta situação”, referiu o presidente da AG.

A entrega das listas terminaria hoje, mas, em virtude do estado de emergência, este último dia também vai ficar suspenso e cumprir-se-á no primeiro dia útil após o fim do estado agora declarado.

“Não seria justo que o prazo de entrega das listas não fosse cumprido na íntegra. Deste modo, o dia que falta será no primeiro dia útil após o fim do estado de emergência”, referiu.

Até ao momento foram entregues duas listas candidatas às eleições do FC Porto, para o quadriénio de 2020-24, uma liderada pelo atual presidente, Pinto da Costa, e outra encabeçada por José Fernando Rio.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, começou em dezembro na China e infetou mais de 210 mil pessoas em 170 países, das quais mais de 8.750 morreram.

Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 2.978 mortes para 35.713 casos, o Irão, com 1.135 mortes (17.350 casos), a Espanha, com 558 mortes (13.716 casos) e a França com 175 mortes (7.730 casos).

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira, e o número de mortos no país subiu para dois.

O Presidente da República decretou esta quarta-feira o estado de emergência em Portugal, por 15 dias, devido à pandemia de Covid-19.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.