O Benfica anunciou esta sexta-feira a doação de um milhão de euros ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), valor esse destinado à compra de equipamento médico para auxilio no combate à pandemia de Covid-19 que já afeta mais de mil pessoas em Portugal.

A doação surge de uma iniciativa conjunta do clube com a Câmara Municipal de Lisboa e a Universidade de Lisboa, e deverá servir para reforçar o número de ventiladores, máscaras e material de proteção para os profissionais do SNS.

O clube termina o comunica desejando que a iniciativa possa "combater esta terrível calamidade pública" deixando ainda um agradecimento aos profissionais que estão na linha da frente deste combate.

"(...) uma forte e sentida palavra de solidariedade a todos os portugueses e um profundo agradecimento a todos os incansáveis profissionais da saúde ou os que diariamente nos asseguram os bens básicos e a segurança", concluem as águias.

Leia o comunicado na integra

"Na nossa história e na nossa identidade esteve sempre presente um profundo sentido de solidariedade e responsabilidade social. Vivemos, como todo sabemos, um momento de emergência, que de todos nós exige ações e contributos concretos de apoio, sobretudo a quem está na linha da frente do combate a este tão grave flagelo.

Nesse sentido, juntando esforços e no âmbito de uma iniciativa conjunta com a Câmara Municipal de Lisboa e Universidade de Lisboa, o Sport Lisboa e Benfica e a Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informam que decidiram contribuir com a doação de uma verba de um milhão de euros destinada à concretização de uma grande aquisição de equipamentos médicos, nomeadamente ventiladores, máscaras e outro material de proteção, para oferecer ao Serviço Nacional de Saúde (SNS).
O Grupo Sport Lisboa e Benfica espera que esta e outras iniciativas da sociedade civil possam ajudar a combater esta terrível calamidade pública e expressa uma forte e sentida palavra de solidariedade a todos os portugueses e um profundo agradecimento a todos os incansáveis profissionais da saúde ou os que diariamente nos asseguram os bens básicos e a segurança."

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 265 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 11.100 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 90.500 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 4.032 mortos (mais 627 que na quinta-feira) em 47.021 casos.

A Espanha regista 1.002 mortes (19.980 casos) e a França 264 mortes (9.134 casos).

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O número de mortos no país subiu para seis.

*Artigo atualizado às 19h01

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.