Tal como fizera no Marquês de Pombal, Bruno Lage voltou a deixar uma mensagem de civismo. Em declarações aos jornalistas nos Paços do Concelho, o treinador do Benfica mostrou-se ainda consciente da efemeridade do sucesso.

"É com enorme orgulho que vejo o nosso presidente, uma pessoa tão nobre, fazer uma menção tão honrosa à minha pessoa. Eu sou uma pessoa comum, que apenas quer o melhor para a nossa sociedade. Nós, benfiquistas, com esta conquista temos que dar o primeiro passo, e começar a respeitar as outras equipas, temos de tratar os outros pelo nome. Este pode ser o primeiro passo: respeitar quem ganha e quem perde", começou por dizer Bruno Lage.

"Houve muita gente que não percebeu o que eu, em jeito de brincadeira, quis dizer com as amolgadelas no autocarro... Temos de ser equilibrados na nossa vida. Se eu ganhar e permitir tudo, que me dêem umas 'porradas' no carro, amanhã quando perder também já vou estar à espera de tudo e que partam aquilo que quiserem. Há que haver sempre um equilíbrio, amanhã podem partir uma mesa uma cadeira, mas há que celebrar, com responsabilidade e com civismo. Assim é que tem de ser vivida a vida e o desporto", acrescentou.

"Agora vou guardar e viver intensamente estes momentos. Temos que perceber o que é a vida, que é dia a dia. Já nos pedem o 38 e essa tem de ser a exigência de um grande clube, mas o mais importante agora é viver o 37, que foi ganho de treino a treino, de jogo a a jogo. E a vida pessoal também é assim", lembrou, em mais um recado social.

"Fizemos uma segunda volta fantástica, fruto do trabalho dos jogadores. Mas também importante foi a reconquista dos adeptos. E dizer que foi um trabalho iniciado por Rui Vitória. também lembro que o plantel deu segunda oportunidade ao Taarabt, que também é campeão porque este grupo lhe deu uma segunda oportunidade. Não fui eu, foi o grupo. Isso é um motivo de orgulho e significado enorme nesta reconquista, salientou.

Questionado pela jornalista da BTV se Fernando Medina tinha o lugar de Presidente da Câmara em risco por causa de Lage, o treinador do Benfica respondeu de forma irónica.

"Sim, e até vim de fato por causa disso mesmo. Com um fato e bom discurso nunca se sabe onde a gente pode ir", disse.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.