O antigo guarda-redes do Desportivo das Aves, Beunardeau, reagiu à polémica que dá conta de que o clube avense estaria envolvido numa alegada viciação de resultados.

"Nunca na vida um jogador do Aves se venderia. Conseguimos a permanência ganhando no campo e não porque andámos a comprar jogos", garantiu em declarações ao jornal desportivo 'O Jogo'.

Beunardeau frisou que, para o final do campeonato, ainda "faltam 30 pontos. Sei que será complicado, mas é possível. O Aves tem uma boa equipa. Perdemos muitos jogos sem sorte e isso fez-nos perder a confiança. O Aves é um clube de I Liga", garantiu o guarda-redes, que rescindiu contrato unilateralmente com o clube em abril devido a salários em atraso.

SAD do Desportivo das Aves admite ações judiciais contra antiga diretora
SAD do Desportivo das Aves admite ações judiciais contra antiga diretora
Ver artigo

Aquando da suspensão do campeonato nacional, no passado mês de março, o Desportivo das Aves ocupava o 18º e último lugar da tabela com 13 pontos - quatro vitórias, um empate e 19 derrotas - e com dez jogos ainda por disputar.

Recorde-se que no passado mês de abril começaram a circular na rede social Facebook dois supostos telefonemas de Estrela Costa, antiga diretora-executiva da SAD, com um advogado e o administrador Wei Zhao, que nunca se escuta, nos quais são abordadas alegadas vendas de resultados referentes à temporada 2018/2019.

A antiga diretora-executiva fala ainda da passagem do ex-treinador Augusto Inácio pelo clube ou intenção do empresário chinês em vender parte das ações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.