A Avenida do Mar, na baixa do Funchal, foi o palco privilegiado dos festejos de milhares de adeptos do Benfica pela conquista do 37.º título de campeão nacional de futebol.

Ainda decorria a primeira parte do jogo com o Santa Clara, da 34.ª e última jornada da I Liga, que o Benfica venceu por 4-1, e já dezenas de pessoas marcavam presença junto a um restaurante na zona do Palácio de São Lourenço, à frente da Avenida do Mar.

A variedade era muita no vestuário, pois alguns nem traziam roupa alusiva ao emblema benfiquista, enquanto outros vestiam de vermelho da cabeça aos pés.

No intervalo do jogo, um vendedor ambulante tentou aproveitar a circunstância para mostrar camisolas brancas, nas quais se lia ‘Reconquista 37 SLB' a vermelho, embora com pouco sucesso.

O golo que o Sporting apontou no Estádio do Dragão, por Luiz Phellype, chegou a ser festejado como se tratasse de um tento das ‘águias', mas, quando surgiu a reviravolta do FC Porto, a única equipa que poderia impedir a conquista do título pelo Benfica, surgiram também os assobios.

A euforia aumentou ainda mais quando surgiu o apito final do encontro na Luz, dando lugar a uma autêntica invasão da estrada, fazendo parar os primeiros carros que encontraram, o que obrigou alguns autocarros a paragens improvisadas.

De dezenas passaram rapidamente para centenas e, um pouco mais tarde, milhares, que aproveitavam a ausência de carros para se juntarem e posarem para fotografias de outros adeptos e ainda para as filmagens das estações de televisão.

Algumas viaturas mereceram abanões, fazendo parar o trânsito, mas aí entrou em ação a Polícia de Segurança Pública (PSP) a tentar normalizar a circulação.

A partir das 21:00 horas, os adeptos começaram uma marcha e isso fez com que as pessoas se dispersassem mais ao longo da avenida, na qual se multiplicavam as ‘selfies' e os vídeos dos festejos.

O adepto benfiquista Bruno Serrão disse à agência Lusa que a entrada do técnico Bruno Lage foi "decisiva", já que "motivou a equipa de uma forma impressionante".

"É gratificante. É o resultado do esforço de uma época. Quando o Bruno Lage chegou, fez um excelente trabalho e cá estamos nós para festejar o 37.º campeonato. O FC Porto não se pode queixar de nada, porque tiveram sete pontos de vantagem e perderam-na para o Benfica, que é um merecido vencedor", acrescentou.

Pedro Gomes também se mostrou feliz com a "reconquista", na qual tinha "alguma esperança", um título igual aos outros, ao contrário de Teresa Caldeira, fã do médio Pizzi, que classifica o campeonato 2018/19 de distinto.

"Para ser sincera, em janeiro, não acreditava. Os jogadores não estavam com o Rui Vitória, estavam desanimados e, agora, fizeram tudo para ganhar. Tem um gostinho especial porque foi sempre taco a taco com o FC Porto e só ganhámos agora, na última jornada, e, contra o FC Porto, tem sempre um gosto especial", justificou à Lusa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.