O Benfica venceu o Rio Ave por 5-1, em jogo a contar para a 21ª jornada, mas foi obrigado a puxar dos 'galões' de campeão em título para virar um resultado desfavorável ao intervalo. Guedes 'gelou' o Estádio da Luz aos 8' minutos e João Novais deixou o poste de Varela a tremer instantes depois com uma 'bomba' aos 11' minutos. A equipa de Rui Vitória foi à procura do empate, mas não conseguiu 'furar' a boa organização defensiva da formação comandada por Miguel Cardoso e acabou por regressar aos balneários em desvantagem, já sem Salvio, que se lesionou perto do final da primeira parte. No segundo tempo, o Benfica entrou com 'tudo' para dar a volta ao resultado e logo no arranque da etapa complementar um lance de bola parada permitiu a Jardel dar início à reviravolta no marcador. Com o empate alcançado aos 49' minutos, o Benfica ganhou confiança para uma segunda parte de luxo que culminou numa goleada expressiva por 5-1. Pizzi assinou o 2-1 aos 63' minutos enquanto que Jonas dilatou o resultado aos 71' minutos para o 3-1. O avançado brasileiro assinou o seu 25º golo para o campeonato e já vale metade dos golos do Benfica esta época, para além de cimentar o estatuto de melhor marcador da prova. A perder por 3-1, o Rio Ave não conseguiu voltar a entrar na disputa do resultado, à imagem do que tinha acontecido na primeira parte, e os golos foram-se sucedendo com Rúben Dias a fazer o 4-1 e Raul Jiménez a fechar o resultado em 5-1.

Zivkovic a titular no lugar de João Carvalho, Rio Ave com cinco alterações no onze

No regresso ao Estádio da Luz depois do empate com o Belenenses no Estádio do Restelo, Rui Vitória apostou na titularidade de Zivkovic no lugar de João Carvalho e manteve os mesmos jogadores que iniciaram a partida da 20ª jornada. Já Miguel Cardoso foi obrigado a várias alterações, nomedamente a inclusão de Bruno Telles no lugar de Yuri Ribeiro no lado esquerdo da defesa e o regresso de Cássio à titularidade na baliza do Rio Ave. Marcelo voltou ao centro da defesa ao lado de Marcão enquanto que Leandrino e Barreto voltaram à equipa titular.

Primeira parte: Eficácia do Rio Ave deixou Estádio da Luz em suspenso

Depois de uma boa entrada do Benfica em jogo, o Rio Ave aproveitou o espaço concedido para mostrar que é uma das melhores equipas do campeonato a jogar com bola. A eficácia de passe da formação de Vila do Conde permitiu à formação de Miguel Cardoso chegar com muito perigo à área do Benfica e numa jogada individual Francisco Geraldes assistiu Guedes para o 1-0 na primeira ocasião de golo do Rio Ave. Varela parece ser mal batido no lance, assim como Rúben Dias, que não conseguiu vencer o avançado adversário no duelo áreo. Com as bancadas da Luz ainda a digerir o 'balde de água fria' aos 8' minutos de Guedes, João Novais tentou a sua sorte aos 11' minutos e num remate violento deixou o poste direito da baliza de Varela a tremer. Em desvantagem no marcador, Zivkovic e Pizzi procuraram os passes em profundidade para Jonas fazer o empate, mas Cássio esteve em bom plano ao negar o golo do empate. Aos 21' minutos, Jonas cai na área do Rio Ave e ficou a pedir grande penalidade, que o árbitro acabou por não dar depois de consultar o VAR. Aos 35' minutos, Salvio lesionou-se e foi substituído por Rafa que entrou na partida sem fazer aquecimento. A terminar a primeira parte, Jonas recebe uma bola na área, roda, e remate com perigo. Marcelo ainda desvia o remate do 10 encarnado para o último lance de perigo na primeira parte.

Segunda parte: Avalanche ofensiva quebrou boa organização do Rio Ave

No regresso dos balneários, o Benfica foi a primeira equipa a apresentar-se no relvado, juntamente com o trio de arbitragem. O Rio Ave atrasou-se para o recomeço da segunda parte e foi confrontado com uma equipa mais agressiva na disputa de bola. Aos 48' minutos, Grimaldo tentou um chapéu a Cássio, mas Marcão impediu o golo em cima da linha. A equipa de Rui Vitória entrou com 'tudo' e no minuto seguinte acabou por fazer o empate na sequência de um pontapé de canto marcado na esquerda por Cervi em que Jardel saltou mais alto do que Marcão para fazer o 1-1 de cabeça. O Rio Ave ainda esboçou uma reação ao golo do empate do Benfica, e aos 56' minutos Varela fez uma defesa a dois tempos após um desvio de Tarantini de calcanhar no primeiro poste. Apesar do susto, o Benfica não baixou de intensidade e continuou a pressionar junto à área do adversário. O duplo pivot montado por Miguel Cardoso começava a dar sinais de desgaste ao não conseguir lutar pela posse de bola a meio-campo, onde Fejsa mostrou-se imperial na disputa dos lances. Aos 63' minutos, Jonas irrompeu pelo lado esquerdo da área do Rio Ave e fez uma assistência para Pizzi, que no coração da área atirou rasteiro para o fundo da baliza. Com a reviravolta consumada, os 'encarnados' ganharam confiança e moral para colocar o 'pé no acelerador' e os lances de perigo junto à área de Cássio continuaram a suceder-se por vagas. Aos 69' minutos, Rafa acelera num rápido contra-ataque e surge isolado frente a Cássio, mas o guarda-redes do Rio Ave conseguiu chegar a tempo para impedir o golo do Benfica. Não marcou Rafa, marcou Jonas dois minutos depois. Na sequência de um pontapé de canto construído pelos 'obreiros' do primeiro golo, Cervi cruzou para a área onde Jardel amorteceu ao segundo poste para que Jonas pudesse fazer o 3-1 frente a Cássio. Mesmo a vencer por 3-1, o Benfica não tirou o 'pé do acelerador' e explorou as bolas paradas para dilatar a vantagem com Rúben Dias a fazer o 4-1 na sequência de mais um pontapé de canto. O central do Benfica saltou sem oposição na área do Rio Ave e deixou a sua marca no jogo aos 83' minutos já com Raul Jiménez em campo. O avançado mexicano entrou a poucos minutos do final do jogo, mas ainda foi a tempo de fechar a contagem na Luz após uma excelente assistência de Rafa Silva no lado direito.

João Novais: "Não conseguimos conter o nosso estado emocional. A partir do 2-1 foi o descalabro"
João Novais: "Não conseguimos conter o nosso estado emocional. A partir do 2-1 foi o descalabro"
Ver artigo

Momento-chave: Remate ao poste de João Novais

A vencer por 1-0 na Luz, o Rio Ave poderia ter dilatado a vantagem diante do Benfica aos 11' minutos. O remate do extremo deixou o poste direito da baliza de Varela a tremer e poderia ter condicionado o resto do jogo à equipa de Rui Vitória, que assim foi para intervalo em desvantagem por apenas um golo de diferença.

A figura: Jardel

O defesa central brasileiro acabou por ser decisivo na reviravolta do Benfica ao estar envolvido diretamente em dois golos. Fez o empate aos 49' minutos e a assistência para o golo de Jonas aos 71' minutos. Forte no jogo aéreo, Jardel ganhou quase todos os duelos e o seu sentido posicional foi determinante para impedir que o Rio Ave tivesse criado mais perigo junto à área de Varela.

Como ficou a tabela classificativa?

Com este resultado, o Benfica igualou o Sporting à condição e assumiu o estatuto de melhor ataque da prova com 52 golos marcados. O FC Porto venceu o SC Braga por 3-1 e saltou para o primeiro lugar. O Sporting joga hoje com o Estoril-Praia e em caso de vitória regressa à liderança, ainda que à condição, uma vez que o FC Porto tem um jogo a menos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.