O Benfica deu um passo importante rumo ao título de campeão ao vencer o Portimonense por 5-1 mas passou pelas 'passas do Algarve' para conquistar três pontos frente à equipa de António Folha, que se apresentou na Luz muito bem organizada a nível defensivo e com uma estratégia bem delineada que criou muitas dificuldades ao processo ofensivo dos 'encarnados'.

O líder do campeonato voltou a acusar a pressão de defender o primeiro lugar. Na receção ao Portimonense, a equipa do Benfica sentiu muitas dificuldades para ultrapassar uma equipa personalizada e sem medo de jogar de igual para igual no Estádio da Luz. No final da primeira parte, o Portimonense apresentava mais oportunidades de golo do que o Benfica apesar do crescendo exibicional da equipa de Bruno Lage.

Depois de ameaçar a baliza de Vlachodimos por diversas vezes em lances de contra-ataque, o Portimonense acabou por ser premiado com o golo de Bruno Tabata aos 53 minutos. O Estádio da Luz 'tremeu' e a equipa do Benfica ressentiu-se. Os algarvios aproveitaram um 'autêntico' buraco no meio campo adversário para criar situações de perigo e até estiveram perto de dilatar o marcador.

No entanto, a entrada de Jonas no jogo permitiu a Pizzi deslocar-se mais para o centro do terreno e tudo mudou em quatro minutos com dois golos de Rafa Silva. A reviravolta no marcador 'galvanizou' os jogadores do Benfica, que perante um autêntico 'inferno' da Luz construiu uma goleada que não refletiu a realidade das dificuldades impostas pela equipa de António Folha.

Momento do jogo

Rafa bisa no jogo aos 66 minutos para a reviravolta no marcador. O golo do extremo português foi o 'motor de arranque' que faltava à equipa de Bruno Lage para acelerar para a vitória depois de uma primeira parte marcada pela boa organização defensiva do Portimonense e do notório nervosismo do Benfica após o golo de Bruno Tabata.

Os melhores

Rafa Silva - O extremo do Benfica foi determinante na reviravolta no marcador ao fazer dois golos em quatro minutos. Para além dos golos, Rafa foi um dos jogadores mais inconformados da equipa de Bruno Lage na fase em que o Portimonense estava a controlar a partida. Para além dos dribles que protagonizou, Rafa Silva também se destacou nas recuperações de bola no setor mais recuado dos 'encarnados'.

Pizzi - O 'maestro' do Benfica não teve um bom início de jogo e a equipa 'encarnada' ressentiu-se nos primeiros 30 minutos do encontro. No entanto, a partir do momento em que Pizzi surgiu nas zonas de construção o futebol do Benfica começou a impor-se de outra maneira. Com dois remates perigosos no final da primeira parte e várias assistências para decisão no segundo tempo, o número 21 do Benfica redimiu-se do mau arranque na primeira parte para assinar mais uma exibição de gala na Luz.

Seferovic - O avançado suíço desperdiçou uma ocasião soberana logo aos 8 minutos da primeira parte e durante a primeira parte sentiu muitas dificuldades frente aos centrais do Portimonense. Apesar das dificuldades demonstradas na primeira parte, o rendimento de Haris Seferovic 'subiu em flecha' com a entrada de Jonas no jogo e com dois golos na reta final assumiu-se como um jogador determinante para a conquista dos três pontos, especialmente após o terceiro golo dos 'encarnados'.

Jonas - O número 10 do Benfica entrou e mudou o jogo a favor dos 'encarnados'. O avançado brasileiro foi lançado por Bruno Lage logo após o golo inaugural do Portimonense e acabou por ser determinante no desenrolar dos acontecimentos. Com João Félix e Seferovic mais adiantados no terreno, Jonas soube ocupar os espaços entre linhas para criar desequilíbrios na estrutura defensiva montada por António Folha. Fechou o resultado final em 5-1 naquele que foi o seu golo 300 na sua carreira.

Reações:

Bruno Lage: "Para anularem a nossa equipa têm de correr muito"

António Folha: "Jogadores sentiram o segundo golo do Benfica"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.