Jogar depois dos rivais tem destas coisas. O Benfica entrou em campo contra o Tondela sabendo que o FC Porto havia vencido em Braga, o que deixava a equipa de Bruno Lage na obrigação de somar os três pontos para manter a luta ombro a ombro com os 'dragões' pelo título. Entre oportunidades desperdiçadas, golos anulados e um adversário a sair muitas vezes com perigo, os 'encarnados' começavam a exasperar com o nulo e o espectro de mais um jogo sem vencer na casa-forte - duas jornadas antes tinham empatado (2-2) com o Belenenses SAD. Só aos 84 minutos Haris Seferovic, lançado ao intervalo após um interregno devido a lesão, conseguiu acertar na baliza, com uma cabeçada decisiva que arrancou suspiros na Luz.

Mesmo com o suíço a reentrar nas contas, Bruno Lage preferiu apostar no mesmo onze com que alinhara na goleada ao Moreirense, e os 'encarnados' entraram a todo o gás. Logo a abrir, João Félix atirou à malha lateral, Rafa rematou cruzado ao lado do poste, André Almeida marcou, mas o lance já estava invalidado por fora de jogo de Jonas, e Cláudio Ramos negou o golo a Rafa, que correu quase meio-campo isolado. Não esquecer, também, o lance em que Carlos Xistra devia ter assinalado penálti por falta de João Pedro sobre Samaris. Tudo isto em apenas 15 minutos.

Terminado este período de avalanche ofensiva, o Benfica continuou a dominar, mas agora com menos situações de golo, enquanto o Tondela espreitava o contra-ataque sempre que possível – Xavier, aos 21 minutos, fez o único remate para os beirões, com a bola a sair por cima, e já em período de compensação, uma arrancada de Murillo no corredor direito ainda assustou Vlachodimos.

Seferovic aqueceu e foi lançado ao intervalo, por troca com Samaris, alteração que deixou a equipa mais exposta às investidas de jogadores como Murillo. Foi assim que o extremo venezuelano fugiu a Ferro e bateu o guardião do Benfica, aos 48 minutos, lance que acabou por ser invalidado por fora de jogo. Na resposta, Jonas (50') também introduziu a bola na baliza, mas Carlos Xistra recorreu ao videoárbitro para anular o golo, por mão de André Almeida no início da jogada.

O Benfica perdera o meio-campo com a entrada de Seferovic - Pizzi e Gabriel no miolo não estavam a dar conta do recado - e o Tondela, que defendia sempre com os onze jogadores atrás da linha da bola, tentava sair rápido com a bola, aproveitando os espaços nas costas dos defesas 'encarnados'. Bruno Lage lançou Adel Taarabt, uma estreia absoluta quase quatro anos depois do anúncio da sua contratação, mas foram os homens de Pepa novamente a ameaçar a baliza de Vlachodimos - excelente defesa aos 73 minutos, a negar o golo a Xavier.

A intranquilidade começou a apoderar-se dos jogadores do Benfica: não só não conseguiam marcar, como corriam o risco de voltar a perder contra o mesmo adversário que na época transata confirmou o adeus dos 'encarnados' ao título, precisamente na Luz. Jonas, de longe, obrigou Cláudio Ramos a aplicar-se para evitar o 1-0, mas quem decidiu foi mesmo Seferovic (84'): Grimaldo conseguiu colocar a bola entre os centrais e o suíço, sem tirar os pés do chão, cabeceou para o fundo da baliza. São 20 os golos marcados esta época, 16 deles na I Liga, o que faz do ponta de lança o melhor marcador do campeonato.

Respirava-se de alívio nas bancadas, se bem que o Tondela só parou quando Carlos Xistra apitou para o final da partida. O Benfica segue no primeiro lugar com os mesmos pontos do FC Porto, e tem agora um dérbi em Alvalade para discutir antes do próximo ato da luta pelo título, que já vai longa.

Os melhores

Seferovic: Regressou de lesão, foi lançado ao intervalo e acabou por ser decisivo, com um cabeceamento bem executado, que salvou o Benfica de males maiores. Foi a quarta vez na presente temporada que decidiu um jogo a favor das 'águias' - em Guimarães, inclusive, também saltou do banco para apontar o golo da vitória.

Murillo: Quiçá inspirado pelo golo marcado ao serviço da seleção venezuelana contra a argentina, o avançado do Tondela colocou os defesas 'encarnados' em sentido com contra-ataques rápidos e venenosos, que ainda resultaram num golo, invalidado pelo auxiliar de Carlos Xistra.

Cláudio Ramos e Vlachodimos: Num jogo de nervos, ambos os guarda-redes mostraram segurança entre os postes. O guardião auriverde por várias vezes adiou o golo do Benfica, enquanto o grego correspondeu quando foi chamado a intervir.

O pior

Saída de Samaris: Bruno Lage retirou-o de campo ao intervalo para lançar mais um avançado (Seferovic) e a equipa ressentiu-se, ficando mais vulnerável às ações ofensivas do Tondela. Além disso, muita da pressão alta que o Benfica conseguiu impor no início da partida deve-se à intensidade de Samaris no corredor central.

Reações

Seferovic: "Tentaremos ganhar todos os jogos até ao fim, esta foi mais uma batalha"

Cláudio Ramos: "O empate justificava-se pelo que as duas equipas fizeram"

Bruno Lage: "Um jogo muito difícil, mas uma vitória justa. Dou mérito à qualidade defensiva do Tondela"

Pepa: "Conseguimos fazer no Estádio da Luz o que eu não vi outra equipa fazer"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.