O Belenenses SAD, da I Liga portuguesa de futebol, regressou hoje aos treinos, de forma individualizada, no complexo desportivo do Jamor, em Oeiras, após realização de testes à covid-19, que obrigou à paragem da competição.

Da parte da manhã, jogadores, ‘staff’ e dirigentes foram submetidos a testes à covid-19, com os resultados a serem conhecidos na terça-feira, segundo informação do emblema lisboeta.

Para além dos testes, foi também efetuado um inquérito de avaliação de sintomas a todo o departamento de futebol dos ‘azuis’, bem como a entrega de mudas de roupa aos atletas, que passarão a chegar vestidos de casa, de forma a impedir a utilização dos balneários.

Durante a tarde, os jogadores realizaram o primeiro treino após a suspensão da I Liga, em 12 de março, tendo em vista o regresso da competição em 30 e 31 de maio, previsto no plano de desconfinamento anunciado pelo Governo, que também permitiu a realização da final da Taça de Portugal e de atividades individuais ao ar livre.

Na sessão de trabalho, os futebolistas foram divididos por vários campos do complexo, em diferentes grupos, sob a supervisão da equipa técnica, orientada por Petit, respeitando o distanciamento social exigido pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O plano de treinos não sofrerá alterações numa primeira fase, com os treinos individuais a manterem-se.

O central Tomás Ribeiro continua o processo de recuperação da grave lesão sofrida no final de janeiro, enquanto o lateral espanhol Francisco Varela também se encontra entregue ao departamento médico. O defesa brasileiro Eduardo Kau, lesionado desde setembro, após sofrer rotura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, já se encontra apto.

O Belenenses SAD ocupa o 13.º lugar na tabela classificativa, com 26 pontos, quando faltam disputar 10 jornadas, numa tabela liderada pelo FC Porto, com 60 pontos, mais um que o campeão Benfica (59).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 247 mil mortos e infetou mais de 3,5 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.063 pessoas das 25.524 confirmadas como infetadas, e há 1.712 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.