O FC Porto venceu esta sexta-feira o Tondela, no Estádio João Cardoso, por 1-0, em jogo da 23º jornada do campeonato nacional. Pepe inaugurou o marcador para os 'dragões' logo aos 11 minutos de jogo e no regresso do intervalo Óliver Torres fez o segundo. Herrera fechou o marcador aos 74 minutos.

Com este resultado, os 'dragões' mantêm o primeiro lugar com 57 pontos, mais quatro do que os 'encarnados', segundos classificados, que jogam na segunda-feira frente ao Desportivo de Chaves, no Estádio da Luz. Já o Tondela permanece no 13º lugar, mas dependente dos restantes jogos da jornada.

O jogo: O regresso de Pepe aos golos, a 'maravilha' de Óliver e o encerramento de Herrera num jogo bem disputado

O FC Porto teve um bom arranque de jogo e permanecia no meio-campo do Tondela enquanto pressionava o adversário. A primeira meia hora do jogo foi totalmente controlada pela equipa de Sérgio Conceição, enquanto os homens de Pepa mostravam não ter 'pés' para fazer frente à defesa 'azul e branca'. À altura do primeiro golo, o FC Porto seguia já com 56% de posse de bola.

O Tondela reagiu bem ao golo de Pepe, conseguiu subir as linhas de pressão e começou a dar mais dores de cabeça à equipa do FC Porto. Durante o resto da primeira parte foi possível ver um FC Porto forte e com um bom controlo da bola. Já o Tondela começou tímido, mas com o aproximar do intervalo cresceu no jogo e foi ganhando confiança.

Ao intervalo, as duas equipas tinham seis remates cada, dois enquadrados para cada uma. No entanto, o Tondela sentia muita dificuldades em passar para o último terço do campo adversário e, por isso mesmo, quatro dos remates dos beirões foram de fora da área.

As faltas cometidas na primeira parte mostravam ainda que o jogo estava a ser bem disputado, embora com alguns erros de ambos os lados. Das 19 faltas cometidas nos primeiros 45 minutos de jogo, 13 delas foram cometidos por jogadores 'azuis e brancos'.

O segundo golo deixou o FC Porto ainda mais confortável no jogo, enquanto o Tondela baixava o nível e acusava a desvantagem. Já depois do terceiro golo dos 'dragões' o ritmo de jogo baixou considerávelmente. O FC Porto mantinha a boa forma e pressionava o Tondela, que perdia confiança e ia 'desistindo' do encontro.

Resumindo: a primeira parte foi dominada pela superioridade da equipa de Sérgio Conceição, mas ainda houve espaço para o Tondela mostrar o seu jogo. Já na segunda parte, os 'dragões' esmagaram o adversário e a equipa da casa mostrou não ter capacidade para fazer frente ao líder do campeonato.


Os melhores: A dupla de espanhóis nos holofotes

O destaque da noite desta sexta-feira foi para Óliver Torres. O médio espanhol marcou o segundo golo dos 'dragões', fez dois passes para finalização, acertou oito de 11 passes longos, somou 77 acções com bola, e ainda dez recuperações de bola. O segundo destaque do encontro vai para outro jogador espanhol: Adrián López. Fez três remates à baliza, um deles enquadrado, dois passes para finalização, ganhou quatro duelos aéreos ofensivos em oito disputados e três defensivos em quatro.


Os piores: Uma equipa a meio gás

Noite pouco conseguida teve Tomané. O avançado dos beirões perdeu 12 das 17 posses de bola logo na primeira parte do jogo e não conseguiu aquilo que lhe seria de esperar: marcar. O mesmo se aplica para o colega de equipa António Xavier. No entanto, nem só dos homens da frente se faz a culpa desta derrota. Também Sergio Peña leva culpas no cartório. O médio do Tondela esteve 'adormecido' e não foi eficaz na ligação ao ataque dos beirões.


As reações

Sérgio Conceição analisa o jogo e fala de Militão: "Aqui não há Militões nem Conceições… Há o FC Porto"

Pepa: "O grande golo do Óliver tirou-nos completamente do jogo, senti que a equipa desanimou"

Joãozinho: "Se tívessemos mantido o 1-0 ainda podíamos fazer o golo do empate que abanaria a equipa do FC Porto"

Óliver Torres: "Não chutei eu, chutou toda a equipa, toda a família e todos os portistas"


Confira o resumo da partida:

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.