Filme do Jogo

O FC Porto 'pôs-se a jeito' nos minutos finais, mas segurou ontem um precioso triunfo na receção ao Sporting (2-1) e deu um passo afirmativo rumo ao título, na 25.ª ronda da I Liga de futebol.

O central espanhol Marcano, aos 28 minutos, e o argelino Brahimi, aos 49, 'selaram' o triunfo dos portistas, que 'arrumaram', praticamente os 'leões' da luta, deixando-os a oito pontos, e manterão um mínimo de cinco em relação ao Benfica.

Os 'dragões' não foram avassaladores, mas estiveram quase sempre por cima de um Sporting que ainda empatou a um, graças a um tento em 'cima' do intervalo do 'miúdo' recém-entrado Rafael Leão, que, com o jogo a acabar, teve ocasião de ouro para o 2-2.

As duas equipas com muitas baixas

As duas equipas apresentaram-se com muitas baixas, o FC Porto sem Alex Telles, Danilo e Soares e com os regressados Ricardo, Corona e Aboubakar no banco, e o Sporting sem o goleador Bas Dost, o 'artista' Gelson Martins e Piccini.

Gonçalo Paciência, que nunca tinha sido titular, foi a grande novidade nos anfitriões, enquanto Bryan Ruiz foi o eleito, nos forasteiros, para atuar nas costas de Doumbia.

FC Porto entrou melhor

O primeiro remate pertenceu ao Sporting, num cabeceamento de Coates, após um canto, mas foi o FC Porto que entrou melhor, mais ofensivo, com Marega muito ativo na frente de ataque, dando imenso trabalho aos defesas 'leoninos'.

Os 'dragões' fizeram a primeira tentativa aos 11 minutos, após ganharem o primeiro canto e, ao segundo, um minuto depois, quase marcaram, por Marega, que cabeceou ao poste esquerdo e, na recarga cabeceou outra vez, com Bryan Ruiz a 'limpar' em cima da linha.

Após os 15 minutos, o Sporting teve um bom período e Doumbia duas boas ocasiões para marcar, mas, aos 17, deixou-se cair perante o 'bafo' de Dalot e, aos 21, aproveitou uma hesitação de Marcano e rematou, só que Casillas saiu bem e defendeu.

Nos minutos seguintes, Bruno Fernandes tentou duas vezes de meia distância, sem sucesso, e, na resposta, o FC Porto reapareceu e quase marcou, com Herrera a isolar Marega, que correu pela direita e rematou cruzado, mas ao lado do poste.

O golo dos portistas não tardou, já que, aos 28 minutos, na sequência do seu quinto canto, a bola sobrou para Maxi Pereira, que lançou Herrera na direita, com o mexicano a centrar com precisão para o cabeceamento vitorioso de Marcano.

Rafael, coragem de Leão

Em vantagem, o FC Porto manteve-se no comando do jogo, enquanto Jesus teve mais um problema, com a lesão de Doumbia. Aos 43 minutos, o marfinense deu lugar ao 'miúdo' Rafael Leão, que, qual 'conto de fadas', restabeleceu a igualdade três minutos volvidos.

Bryan Ruiz entrou pelo centro e isolou o jovem de 18 anos, que ganhou em velocidade aos centrais portistas e, na cara do veterano Casillas, de 36, colocou-lhe a bola entre as pernas, fazendo a inesperada igualdade com que se chegou ao intervalo.

Brahimi, espírito de Dragão

O efeito do golo nas duas equipas acabou, porém, por não se fazer sentir, já que, logo aos 49 minutos, o FC Porto voltou ao comando do marcador, num golo de classe de Brahimi, na área, depois de um trabalho na direita de Gonçalo Paciência.

Novamente na frente, os 'dragões' reduziram a velocidade e optaram por tentar controlar o jogo, que se tornou mais quezilento, dentro e fora do campo, com Fábio Coentrão a desentender-se e a 'expulsar' dois bombeiros.

O perigo só voltou aos 64 minutos, num cabeceamento de Bryan Ruiz, após um canto, até que começaram as substituições, com Sérgio Conceição a lançar Corona e Aboubakar e, pelo meio, Jesus a colocar em campo Ruben Ribeiro.

O Sporting tentava, mas não conseguia criar perigo e, aos 79 minutos, o FC Porto quase acabou com o jogo, com Aboubakar a isolar Marega e este a fazer um 'chapéu' a Casillas, valendo Battaglia, sobre a linha, a evitar o golo.

Mais uma dor de cabeça para Sérgio Conceição
Aos 82 minutos, Marega lesionou-se e Sérgio Conceição fez entrar o central Diego Reyes, 'dizendo' à equipa para recuar no terreno. Na resposta, Jesus fez o inverno, ao trocar um defesa (Coentrão) por mais um avançado (Montero).

Os últimos minutos foram de grande sofrimento para os 'dragões', com o Sporting a ter duas enormes oportunidades para chegar ao segundo golo, mas Montero esbarrou em Casillas, aos 86 minutos, e, aos 89, Rafael Leão atirou a igualdade para a bancada, servido por Ruben Ribeiro.

Oito pontos separam agora as duas equipas

FC Porto ficou com os três pontos do clássico, que os deixa mais líder no campeonato. Já o Sporting tem a vida mais difícil daqui para a frente, estando a oito pontos do primeiro lugar.

Com nove rondas por disputar, e tendo de deslocar-se à Luz, o invicto 'onze' comandado por Sérgio Conceição, que poderá ter perdido Marega para alguns jogos, ainda não tem margem de manobra, mas ultrapassou mais um obstáculo e já vê ao 'fundo do túnel' o título que lhe foge desde o 'milagre' de Kelvin em 2012/13.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.