Alex Ferguson fez tudo para demover Carlos Queiroz, então seu adjunto no Manchester United, de se transferir para o Real Madrid, mas, quando este lhe comunicou que iria sair, respondeu-lhe que ficaria desiludido se a decisão fosse outra.

«Olha Carlos, eu fiz a minha obrigação como ‘manager’ do Manchester United, que era tentar segurar-te, por isso mesmo te convidei há um ano, mas se não tivesses tomado essa decisão teria ficado muito desiludido contigo», disse Alex Ferguson para Carlos Queiroz, quando este lhe deu conta do convite do Real Madrid.

Para o atual selecionador do Irão este episódio «mostra bem a personalidade e dimensão» de Alex Ferguson, segundo o qual o Real Madrid é um clube perante o qual «se decide primeiro e se pensa depois».

Antes de dar a resposta ao Real Madrid, Queiroz deslocou-se a França ao encontro de Ferguson para lhe revelar o convite e debater a situação numa longa conversa.

«Estávamos de férias nessa altura e ele disse-me claramente o que pensava sobre a opção. ‘Too much politic’, ou seja demasiada politiquice, foi o primeiro comentário que ele fez sobre o Real Madrid, cuja realidade conhecia bem», referiu à Lusa Carlos Queiroz, para quem «nada do que Ferguson lhe transmitiu viria a ser uma surpresa no dia a dia” do clube “merengue».

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.