Um golo aos 92 minutos evitou a derrota do Chelsea em casa, na receção ao Wolverhampton, em jogo da 30.ª ronda da Premier League. No final do encontro, Maurizio Sarri mostrou-se desagradado com a postura assuma pelos 'wolves'.

"Pela primeira vez, apanhámos uma equipa que não quis jogar. Nem contra-atacaram nos últimos 20 minutos, tínhamos de tentar tudo. Cometemos muitos erros, mas merecíamos ganhar. Tivemos azar, porque sofremos golo na primeira ocasião que concedemos. Temos de melhorar", disse o técnico italiano à imprensa britânica.

A equipa de Nuno Espírito Santo abriu o marcador aos 56 minutos, a culminar uma grande jogada entre o extremo português Diogo Jota e do ponta de lança Raúl Jimenez, emprestado pelo Benfica ao Wolverhampton, com duas tabelas consecutivas e finalização do mexicano. O golo do empate, marcado pelo internacional belga Eden Hazard, surgiu apenas ao minuto 90+2, quando o ‘Wolves’ parecia ter os três pontos ‘na mão’.

Pela equipa visitante foram titulares quatro jogadores portugueses, o guarda-redes Rui Patrício, o os médios Rúben Neves e João Moutinho e o extremo Diogo Jota, que seria substituído aos 82 minutos por Gibbs-White. No ‘banco’ do ‘Wolves’ sentaram-se mais três portugueses: Ivan Cavaleiro, Hélder Costa e Rúben Vinagre, mas nenhum chegou a ser utilizado.

Com estes dois pontos perdidos, o Chelsea é sexto classificado, com 57 pontos, enquanto o Wolverhampton é sétimo, com 44.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.