Jurgen Klopp saiu em defesa de Mohamed Salah. O egípcio foi acusado de simulação na área frente ao Arsenal, na grande penalidade que deu origem ao quarto golo dos 'reds' sobre os 'gunners', em jogo da 20.ª jornada da Premier League. O técnico do Liverpool discorda de quem pensa que se tratou de uma simulação.

"Nós, no Liverpool, não temos simuladores. É preciso haver sangue para ser penálti? Penso que não. Se o Salah não tivesse sido puxado teria rematado e sabemos como ele é bom naquelas situações. O árbitro estava muito perto e decidiu assim", comentou.

Foi o próprio Mo' Salah a converter a grande penalidade sobre si, fazendo o 4-1. Depois Firmino fez o 5-1 e o seu hat-trick no jogo, também na transformação de uma grande penalidade.

Salah termina 2018 com 44 golos marcados, 28 deles na Premier League onde fez também 12 assistências. Esta época tem 13 golos marcados na prova, os mesmos de Kane e Aubameyang. Em 2018, só Messi com 51, Cristiano Ronaldo com 49, e Lewandowski com 46 marcaram mais que o egípcio.

O Liverpool venceu o Arsenal por 5-1 e reforçou a liderança da Premier League. Esta quinta-feira os 'reds' jogam fora com o Manchester City, atual sgeudo colocado da prova.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.