Mohamed Salah estará a ponderar deixar a seleção do Egito. De acordo com a CNN, o avançado egípcio falou com os seus companheiros e com os dirigentes da Federação egípcia para dar conta de que pretende deixar a equipa, já eliminada do Mundial.

O jogador do Liverpool considera que está a ser "usado como símbolo político" no Egito, depois de ter sido apelidado de "cidadão honorário" da Chechénia durante um banquete promovido pelo líder checheno Ramzan Kadyrov, para o qual a equipa foi convidada.

A Chechénia, uma região predominantemente muçulmana no sul da Rússia, foi devastada pela guerra entre os separatistas e Moscovo, com Kadyrov a ser acusado de múltiplas violações dos direitos humanos.

Salah não gostou do comentário, mas o porta-voz da seleção já veio a público negar estes rumores. "Salah está connosco e está feliz. Está a comer e a divertir-se com os colegas. Está a treinar bem e isso significa que não há qualquer problema", referiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.