Vitória arrancada a ferros da Argentina frente a Nigéria (2-1), que assim assegurou a passagem aos oitavos de final do Campeonato do Mundo.

A Argentina queria ter nas mãos o seu destino para seguir em frente para os oitavos de final do Campeonato do Mundo. Do outro lado, também precisava que a Islândia não ganhasse, ou pelo menos não ganhasse 'por muitos' para que os albicelestes pudessem superar a desvantagem ao nível dos golos.

Para a partida decisiva com a Nigéria, Sampaoli mudou cinco jogadores, deixando Acuña e Salvio no banco de suplentes. Nota para a estreia do guardião Armani que somou a sua primeira internacionalização.

Mudando o sistema para um 4-4-2, a Argentina apresentou-se mais compacta e organizada taticamente, contra o habitual 3-5-2 da Nigéria. Foi uma entrada de rompante dos argentinos e sobretudo com Leonel Messi a voltar a ser Messi. Com uma olhar compenetrado e sagaz, a 'pulga' estava claramente diferente e com vontade de querer deixar finalmente uma marca neste Mundial,

O primeiro momento do 10 neste Mundial chegou ao minuto 15. Depois de um grande abertura de Banega, Messi inaugurou o marcador num remate cruzado.

A Argentina estava como queria. Marcava cedo e pressionava a Islândia. O 10 marcava encontro com a história ao tornar-se no terceiro jogador argentino a marcar em três mundiais depois de Maradona e Batistuta. O astro argentina marcava também o 100º golo deste Mundial.

Mundial 2018: Lionel Messi marcou 100.º golo da 21.ª edição
Mundial 2018: Lionel Messi marcou 100.º golo da 21.ª edição
Ver artigo

Com fome de bola e a fazer o que faz melhor, que é ameaçar a baliza e servir os companheiros, Messi colocou o golo nos pés de Higuáin, que só não marcou devido à ação de Uzoho. Mas Messi esteve imparável na primeira parte e ao minuto 34, atirou ao ferro na marcação de um livre.

Muito forte nos duelos individuais e sólida a nível defensivo, a Argentina não dava hipóteses à Nigéria que só no segundo tempo tentou dar um ar da sua graça.

No início da segunda parte e sem o merecer, a Nigéria teve à sua disposição a oportunidade de empatar a partida. Os africanos dispuseram de um grande penalidade, por uma alegada falta de Mascherano sobre Balogun, num lance que pareceu muito duvidoso.

Na conversão, Moses enganou Armani e empatou a partida.

Com um resultado que não servia ao conjunto Albiceleste, a equipa de Sampaoli partiu desesperadamente à procura do golo, perante uma Nigéria que baixava o bloco e procurava explorar o contra-ataque.

Com o balanceamento atacante dos sul-americanos era a Nigéria que tentava aproveitar. Numa transição rápida, depois de um centro da esquerda, a bola ressaltou em Rojo que tentou o corte, a bola sobrou para Ighalo que atirou perto do poste. Ainda se pediu mão do lateral, mas depois de consultar o VAR, o árbitro nada assinalou.

Já perto do fim, a Argentina viveu mais um susto. Livre de Etebo, que acabou por beijar as malhas laterais.

Já perto do final da partida, (86´) Rojo, que era um dos piores da Argentina em campo, acabou por ser o herói improvável da partida, depois de emendar com o pé direito um cruzamento de Mercado e fazer o golo do triunfo argentino. O mundo do futebol merecia ver mais Messi e Argentina no Mundial.

Com este resultado, a Argentina é segunda classificada do grupo D, atrás da Croácia e segue para os oitavos de final.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.