O selecionador de futebol da França, Didier Deschamps, disse hoje que o médio Adrien Rabiot, que se recusou a treinar com os reservas dos franceses para o Mundial2018, “cometeu um erro enorme” e se está a autoexcluir.

“Eu percebo a grande deceção, mas ele cometeu um erro enorme e está a autoexcluir-se. Espero que decisões como estas o façam amadurecer”, referiu hoje o treinador na conferência de imprensa do primeiro dia de estágio dos franceses, em Clairefontaine.

Questionado sobre um possível retorno do jogador à seleção, Deschamps respondeu o seguinte: “Eu nunca tomo uma posição radical, não adianta negar-lhe um regresso”.

O presidente da federação francesa, Nöel Le Graët, também lamentou a atitude do jogador, dizendo que o jogador do Paris Saint-Germain “tomou uma péssima decisão” e está a “penalizar-se a si mesmo”.

“Rabiot é um jogador de grande qualidade e um menino cativante, que sempre teve a melhor atitude na seleção nacional, mas a sua frustração não pode levá-lo a desistir do seu país”, vincou Le Graët.

Segundo revelou à agência francesa AFP fonte próxima ao caso, o jogador, de 23 anos, enviou um e-mail ao selecionador mencionando que nas presentes condições não poderá seguir o programa de manutenção física, proposto pela federação.

Os reservas da seleção francesa devem ficar em forma e prontos para serem chamados em caso de lesão dos 23 convocados para o Mundial2018, que se realiza de 14 de junho a 15 de julho, na Rússia.

Esta época, Rabiot, que conta apenas com seis internacionalizações, fez 50 jogos pelo clube parisiense e marcou cinco golos, tendo ganho a liga francesa, a Taça de França, a Taça da Liga e a Supertaça.

No Mundial2018, a França integra o Grupo C, juntamente com a Austrália, Dinamarca e Peru.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.