O Brasil somou esta sexta-feira a primeira vitória no Mundial 2018 diante da Costa Rica por 2-0 no segundo jogo do Grupo E. Em São Petersburgo, a equipa de Tite sentiu muitas dificuldades para abrir o marcador, e só com dois golos apontados nos descontos conseguiu garantir os três pontos. Já a Costa Rica somou o segundo desaire na competição e está fora das contas para a fase seguinte do Mundial 2018.

Depois do empate na jornada inaugural diante da Suíça, o Brasil estava obrigado a vencer a Costa Rica para não colocar em risco o apuramento para a próxima fase do Campeonato do Mundo. Tite manteve a equipa a jogar em 4x2x3x1 com Neymar, Gabriel Jesus e Paulinho a titulares.

A Costa Rica deu o pontapé de saída mas foi do Brasil o primeiro remate do jogo, com Coutinho a dar sinal de vida logo aos 4 minutos. Com três centrais à frente de Keylor Navas, o selecionador costa-riquenho apostou num modelo defensivo em 5x4x1 sendo que nas manobras ofensivas transformava-se num 3x4x3.

Os números do Brasil-Costa Rica: Coutinho foi o MVP de um jogo que só deu Brasil
Os números do Brasil-Costa Rica: Coutinho foi o MVP de um jogo que só deu Brasil
Ver artigo

A reação ao primeiro remate do Brasil surgiu dos pés de Bryan Ruiz, mas o passe em profundidade do capitão da Costa Rica para Ureña acabou por não ter o melhor seguimento devido à intervenção de Thiago Silva.

O Brasil tinha posse de bola, mas faltava profundidade nas ideias dos atacantes 'canarinhos'. Keylor Navas assumiu-se como um dos grandes protagonistas ao longo da primeira parte mas no regresso aos balneários até tinha sido a Costa Rica a criar a grande situação de golo com um remate enquadrado de Borges aos 13' minutos.

No segundo tempo, o Brasil apresentou uma novidade no onze com a entrada de Douglas Costa para a saída de Willian e as melhorias na dinâmica 'canarinha' sentiram-se logo nos instantes iniciais com uma série de lances de perigo junto à baliza de Keylor Navas, nomeadamente uma bola no ferro aos 49' minutos após cabeceamento de Gabrie Jesus e um remate de Coutinho ao lado aos 50' minutos.

Com a Costa Rica limitada ao seu meio campo defensivo, o Brasil não baixou a pressão e procurou chegar ao golo inaugural. Neymar tentava surgir no jogo, mas viu Keylor Navas negar-lhe um golo aos 57' minutos.

Contra a corrente do jogo, a formação costa-riquenha tentava explorar os espaços concedidos pela vertigem ofensiva brasileira, mas os lances de contra-ataque da Costa Rica revelaram-se ineficazes perante a atenção de Miranda.

Os argumentos do Brasil para abrir o marcador pareciam esgotar-se sempre nas mãos de Keylor Navas, e aos 78' minutos Neymar caiu na área na sequência de uma disputa de bola com González. O árbitro Bjorn Kuipers assinalou o castigo máximo, mas depois de rever o lance acabou por reverter a sua decisão e mandar seguir o jogo.

Apesar do domínio de jogo, o Brasil não conseguia dar objetividade ao seu jogo ofensivo com muitos passes na área adversária e poucos remates enquadrados.

O árbitro acabou por dar seis minutos de compensação para além dos 90', e foi aí que o Brasil conseguiu assegurar a vitória. Primeiro por Philippe Coutinho, que já tinha marcado o tento dos ‘canarinhos’ face à Suíça (1-1), concretizou o primeiro, aos 90+1 minutos, com um remate por entre as pernas de Keylor Navas numa jogada que começou com um cruzamento para a área de Marcelo. Firmino cabeceou para a área com a bola a cair em Gabriel Jesus. O número 9 do Brasil não conseguiu dominar bem e ao rodar acabou por fazer uma assistência para Coutinho, que entrou com tudo para fazer o 1-0. O segundo golo do Brasil acabou por surgir de uma transição rápida com Douglas Costa a acelerar no corredor direito e com espaço assistiu Neymar para o 2-0.

Os ‘canarinhos’ seguem, provisoriamente, na liderança do Grupo E, com quatro pontos, contra três da Sérvia, um da Suíça e nenhum dos costa-riquenhos. Os dois conjuntos europeus defrontam-se ainda hoje.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.