Portugal está nos 'oitavos' do Mundial 2018 depois de ter empatado com o Irão a 1-1 no último jogo do Grupo B. Fernando Santos fez três alterações em relação à partida com Marrocos e ganhou a aposta quando perto do final da primeira parte Ricardo Quaresma combinou com Adrien Silva e atirou de 'trivela' para um dos melhores golos da competição até ao momento. O Irão de Carlos Queirós, por seu lado, soube explorar as dificuldades de Portugal em entrar na zona de finalização de forma a 'enervar' os jogadores mais 'criativos' da seleção das 'quinas'.

Cristiano Ronaldo teve nos pés uma oportunidade soberana para sentenciar a partida já no segundo tempo através de uma grande penalidade, mas uma enorme defesa de Ali Beiranvand negou o segundo golo de Portugal e empurrou a formação iraniana para uma forte reação na etapa complementar, que culminou com o golo do empate já para além do tempo regulamentar. Perto do apito final, o árbitro Enrique Cáceres foi chamado para consultar o vídeo-árbitro e não teve dúvidas em assinalar uma grande penalidade devido a um corte com a mão de Cédric. Chamado à conversão do castigo máximo, Karim Ansarifard não falhou da marca dos onze metros e bateu Rui Patrício com autoridade.

O Irão-Portugal em números: Beiranvand foi o MVP num encontro dominado por Portugal
O Irão-Portugal em números: Beiranvand foi o MVP num encontro dominado por Portugal
Ver artigo

Num jogo em que as dificuldades eram expectáveis, Fernando Santos fez três alterações no onze inicial em relação à equipa titular que venceu Marrocos na jornada anterior. O selecionador nacional apostou em Adrien Silva, Ricardo Quaresma e André Silva, e a dinâmica no meio campo português ganhou outra criatividade e intensidade. Os instantes iniciais da partida mostraram uma equipa de Portugal a assumir o jogo e a criar algumas dificuldades ao adversário. Apesar de alguma falta de segurança do guarda-redes  Ali Beiranvand nos primeiros minutos de jogo, a 'muralha' iraniana parecia sólida e capaz de resistir à 'armada' montada por Fernando Santos. Um cruzamento largo de William para a área do Irão gerou alguma confusão entre Ali Beiranvand e Pouraliganji, mas João Mário não soube aproveitar o 'presente' iraniano e atirou por cima da baliza à entrada da área.

Sem muito espaço para jogar na área do adversário, Portugal tentou de várias formas chegar ao golo, mas sem efeitos práticos frente a uma equipa do Irão bem trabalhada no capítulo defensivo e com instruções para aproveitar os lances de contra-ataque por intermédio de passes longos. Já os constantes protestos dos jogadores iranianos em quase todas as decisões da equipa de arbitragem parecia fazer parte de uma estratégia para enervar a equipa de Portugal, mas perto do final da primeira parte não houve qualquer argumento racional para protestar contra o monumental golo de Ricardo Quaresma. O extremo português recebeu um toque de calcanhar de Adrien Silva e num momento de puro génio atirou de 'trivela' para o fundo da baliza.

No arranque da segunda parte, Cristiano Ronaldo foi derrubado por Ezatolahi na entrada da área do Irão e o árbitro recebeu indicação de possível grande penalidade. Os jogadores iraniano protestaram com a decisão do VAR e ainda mais quando Enrique Cáceres apontou para a marca dos onze metros. Cristiano Ronaldo foi chamado à conversão, mas não conseguiu enganar Ali Beiranvand permitindo a defesa do guarda-redes iraniano. Antes da marcação da grande penalidade, Carlos Queirós abandonou o banco em protesto e só regressou depois da defesa de Ali Beiranvand. A penalidade defendida pelo guardião iraniano deu confiança à equipa de Carlos Queirós que a partir desse momento arriscou mais nas incursões até à área de Portugal onde Pepe foi determinante ao cortar o perigo em diversos lances áereos.

Já com Bernardo Silva em campo, Portugal ganhou outra profundidade ofensiva, mas foi o Irão a criar perigo aos 72' minutos com um remate rasteiro de Ghoddos. O ascendente iraniano colocava em sentido a equipa portuguesa, e aos 83' minutos o árbitro foi avisado pelo VAR para uma possível falta de Cristiano Ronaldo sobre Pouraliganji passível de cartão vermelho. Após visualizar as imagens, Enrique Cáceres não expulsou o capitão de Portugal, mas mostrou-lhe um cartão amarelo perante os efusivos protestos de toda a equipa do Irão. À entrada do tempo extra, o árbitro paraguaio voltou a ser chamado pelo VAR para analisar uma possível grande penalidade de Cédric Soares por causa de corte da bola com a mão e não teve dúvidas em assinalar o castigo máximo. Aos 93' minutos, Karim Ansarifard bateu Rui Patrício na marca dos onze metros para fazer o 1-1. Antes do apito final, o Irão até esteve perto de dar a volta ao marcador por intermédio de Mehdi, mas Rui Patrício saiu bem da baliza e conseguiu com que o médio iraniano apenas rematasse às malhas laterais num lance que poderia ter afastado Portugal dos 'oitavos'.

Com este resultado, Portugal vai defrontar agora o Uruguai nos oitavos de final do Mundial2018 de futebol, depois de ter assegurado o segundo lugar do grupo B, atrás da Espanha. Apesar de ter os mesmos pontos do que a formação lusa no topo do grupo B, a Espanha, que também empatou, mas a 2-2, com Marrocos, beneficiou de ter mais um golo marcado do que Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.