De um lado o Internacional, na sua renovada Arena Beira-Rio; do outro, o Grémio de Porto Alegre, alojado na Arena Grémio. Eternamente separados pela rivalidade, estes dois clubes unidos protagonizam o ‘Gre-Nal’, o grande dérbi do estado de Rio Grande do Sul e um dos embates mais escaldantes do futebol brasileiro.

Com epicentro em Porto Alegre, toda a ação decorre no espaço de 2,5 quilómetros, a distância que divide os dois estádios. Curiosamente, o ‘Tricolor’ também aproveitou para refrescar o aspeto do ‘seu’ Arena Grémio. Apesar de este não integrar o lote de recintos devidamente aprovados pela FIFA para o próximo Campeonato do Mundo de Futebol, como o seu vizinho Beira-Rio, o Arena Grémio até ficou concluído mais cedo do que o estádio do seu rival.

Como qualquer rivalidade “a sério”, esta transcende o mero futebol jogado dentro das quatro linhas e chega mesmo à contabilidade… dos maiores títulos nacionais e internacionais dos dois emblemas de Porto Alegre.

No palmarés do Grémio destacam-se as duas conquistas do Brasileirão (1981 e 1996), as quatro vitórias na Taça do Brasil (1989, 1994, 1997 e 2001), as duas Taça Libertadores (1983 e 1995) e a já extinta Taça Intercontinental de 1983, que foi substituído pelo Mundial de Clubes já em pleno Século XXI.

Quanto ao Internacional, o ‘Colorado’ apresenta 42 títulos gaúchos, três troféus do Brasileirão (1975, 1976 e 1979), uma Taça do Brasil (1992), duas Libertadores (2006 e 2010), uma Taça Sul-Americana (2008) e, como recente coroa de glória, o título de campeão do mundo de clubes para a FIFA, em 2006. Aliás, esse feito faz mesmo parte da renovação do estádio Gigante da Beira-Rio, com um ecrã luminoso a aludir a esse triunfo.

Naturalmente, da mesma forma que a rivalidade sobe às galerias de troféus, o despique entre Internacional e Grémio desce também às camadas jovens, onde os respetivos adeptos reivindicam a maior quota-parte de craques formados para a seleção do Brasil. 

Assim, o ‘Tricolor’ de Porto Alegre revelou ao mundo o talento de Ronaldinho Gaúcho, Renato Gaúcho ou Emerson. No entanto, é também de salientar a conexão com jogadores que vestiram a camisola do clube e ainda passariam por Portugal, como Jardel, Tinga, Rochemback ou o próprio antigo selecionador Luiz Felipe Scolari, atualmente de volta ao comando do ‘escrete’. Já o Internacional lançou Falcão, Taffarel, Dunga, Alexandre Pato, Leandro Damião, entre outros notáveis da ‘canarinha’.

Seja em casa de um ou outro clube, o duelo alimenta uma centenária rivalidade equilibrada, ainda que com ligeiro pendor para o encarnado do Internacional, expresso em 149 triunfos, 125 empates e 125 derrotas ao longo de 399 jogos.

O ‘Gre-Nal’, como é conhecido este dérbi, vai chegar em breve aos 400 desafios, mas a rivalidade gaúcha, essa, não perde fulgor com o tempo. 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.