Poucos clubes se podem orgulhar de ter uma história tão rica no Brasil como o Corinthians. Fundado em 1910, o ‘Timão’, como é conhecido o emblema paulista, ostenta no seu museu dois Mundiais de Clubes da FIFA, uma Taça Libertadores, uma Recopa Sul-Americana, cinco campeonatos brasileiros e 27 títulos estaduais. Fora do museu, milhões de adeptos vibraram pelo Corinthians sem nunca ter uma ‘casa’ à sua dimensão.

Segundo os estudos brasileiros, o ‘Timão’ tem cerca de 30 milhões de adeptos no Brasil, sendo apenas superado pelo Flamengo. Contudo, a ‘Fiel’, a alcunha da massa associativa do clube, tinha de se ‘apertar’ nos estádios por onde a equipa passava.

Essa espera iniciou-se com o Estádio Alfredo Schürig, mais conhecido como Fazendinha e Parque São Jorge, construído entre 1926 e 1928. Apesar de ter capacidade para somente cerca de 18 mil pessoas, o recinto foi regularmente utilizado até 2002, ano em que o Corinthians se despediu com um jogo amigável contra o Brasiliense.

A alternativa encontrada ao longo de décadas foi o popular Pacaembu, que oficialmente é designado por Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho. Inaugurado em 1940 sob a presidência de Getúlio Vargas, o recinto podia albergar até um limite de 70 mil espectadores, sendo nessa época o melhor estádio da América do Sul. Com a evolução das condições dos estádios, a capacidade reduziu-se também para aproximadamente 40 mil.

Nas últimas décadas sucederam-se as direções à frente do Corinthians e as promessas de um novo estádio que correspondesse aos anseios e às ambições da ‘Fiel’. Só na antecâmara do seu centenário é que o sonho saiu do papel, com a oportunidade dada pela realização do Campeonato do Mundo no Brasil.

Foi em 2010 que nasceu o projeto da Arena Itaquerão. Com o nome ainda em debate – a FIFA designa-o simplesmente Arena de São Paulo e os responsáveis do clube preferem somente Arena Corinthians -, o novo estádio foi pensado para receber 48 mil pessoas. Todavia, as exigências da FIFA ditaram o seu crescimento para 68 mil, no sentido de acolher o jogo de abertura da 20ª edição do Mundial.

Aproximadamente 315 milhões de euros depois e obras que duraram quase três anos, a Arena Itaquerão está agora praticamente pronta para a inauguração. O Mundial receberá a obra de braços abertos, tal como os adeptos, 104 anos depois do nascimento do Corinthians. 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.