Foi negado o uso de doping mas não o uso de drogas. Depois de um grupo de 'hackers' russos terem revelado que 23 jogadores consumiram medicamentos proibidos pela FIFA no Mundial 2010, os responsáveis da seleção argentina vieram negar esta notícia no seio da sua equipa.

Segundo avança o jornal espanhol Sport, Donato Villani, coordenador médico da seleção argentina afirmou que Diego Milito, Tévez, Verón, Heinze e Samuel consumiram "drogas que estão dentro da lei" e negou o uso de doping.

"Isto não faz sentido, foram coisas que fizeram segundo as leis normais. Temos todos os certificados, assim como tem a FIFA, A Agência Mundial Anti Dopagem e a Associação de Futebol Argentino", afirmou Villani ao jornal desportivo Olé.

"O Milito, por exemplo, precisava de Salbutamol para uma infeção pulmonar crónica e apesar de estar proibido, com este certificado, foi possível ser usado", afirmou o médico, que insistiu no facto de toda a documentação estar arquivada e disponível na Associação de Futebol Argentina.

Recorde-se que o grupo de 'hackers' Fancy Bears veio revelar que 23 jogadores, de entre os quais os cinco jogadores argentinos, utilizaram substâncias proibidas para participar na competição.

Recorde-se que a Argentina foi eliminada do Mundial 2010 pela Alemanha, ao sofrer uma goleada de 4-0.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.