As chuteiras do sul-africano Siphiwe Tshabalala, que marcaram o primeiro golo da fase final do Mundial de 2010, em 11 de Junho, vão ser expostas na sede da Federação Sul-africana de Futebol (SAFA).

De acordo com o secretário executivo da SAFA, Leslie Sedibe, as botas de Tshabalala, que marcaram o primeiro golo do torneio, bem como o primeiro da selecção anfitriã (empate frente ao México por 1-1), deverão ficar expostas para sempre como “símbolo de esperança e daquilo que a África do Sul é capaz de fazer na cena mundial”.

Falando perante o comité parlamentar de Desporto, numa sessão dedicada ao balanço do primeiro Mundial de futebol realizado em solo africano, aquele dirigente defendeu que as botas que marcaram o golo inaugural do Mundial e outros artigos relacionados com o torneio constituirão “uma recordação constante do que são os sul-africanos e de onde vieram como povo”.

Tshabalala, que milita no histórico clube Kaizer Chiefs, marcou frente ao México um dos mais belos golos do Mundial, mas os “Bafana Bafana” acabariam por não passar da fase de grupos, apesar de terem batido a França no derradeiro jogo que disputaram.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.