O motociclista de 52 anos propõe-se percorrer sozinho 17 países e chegar a Pretória a tempo de assistir ao primeiro jogo de Portugal no Mundial de Futebol, frente à seleção da Costa do Marfim.

Prestar apoio aos jogadores portugueses não é, contudo, o seu único objectivo, já que a viagem é também uma forma de “promover uma moto inteiramente portuguesa e de homenagear os Xutos e Pontapés”, que inspiram a versão da AJP PR4 que vai ser utilizada nesse percurso.

“Uma viagem destas é uma aventura”, afirma Osvaldo Garcia. “Fazer isto numa moto com 1200 de cilindrada e com jipes cheios de apoio atrás é o que eu chamo «uma viagem». Assim, numa moto com estas características e sozinho durante todo o percurso, é realmente de uma aventura que se trata”.

Sobre a capacidade técnica da AJP PR4 Enduro a utilizar no trajecto até Pretória, Osvaldo Garcia mostra-se tranquilo: “Não tenho nenhuma fragilidade a apontar à moto e, quanto mais a uso, mais gosto dela”.

O que o inquieta é o contexto social de países como o Níger e o Chade, onde assaltos e raptos são um risco constante e representam uma ameaça séria não só à conclusão da viagem, mas sobretudo à própria vida do motociclista.

“Se me acontecer uma coisa dessas”, reconhece Osvaldo Garcia, “a viagem acaba aí”.

Para António Pinto, fundador da AJP Motos S.A., também são esses riscos que mais ansiedade lhe causam: “Quanto ao potencial da moto eu não tenho receios; o problema é se o Osvaldo é assaltado, raptado ou leva um tiro. Alguns dos países por onde ele vai passar são um perigo e, se lhe acontece alguma coisa, a ajuda pode demorar a chegar”.

Diminuir a exposição do motociclista a esses riscos implicou algumas adaptações na PR4 que Osvaldo Garcia vai conduzir. “A moto tinha obrigatoriamente que levar duas malas laterais para bagagem”, adianta António Pinto, “mas também lhe instalámos um depósito de combustível suplementar, que acrescenta 14 litros aos 7,5 para os quais ela já tinha capacidade”.

A moto que vai até África do Sul tem também “um banco ligeiramente mais largo para maior conforto do condutor” e uma protecção aerodinâmica fronteira, “para resguardo do «road book» e do GPS”.

A partida de Osvaldo Garcia para África do Sul está marcada para as 15:00 de segunda, na Câmara Municipal de Penafiel. O trajecto da viagem inclui Espanha, Marrocos (Sahara Ocidental incluído), Mauritânia, Mali, Burkina Faso, Benin, Níger, Chade, Camarões, Gabão, Congo-Brazzaville, República Democrática do Congo, Angola, Zâmbia e Moçambique.

Os preparativos da iniciativa podem acompanhar-se através do Facebook, do Twitter e de um blog, sempre com recurso à identificação “Osvaldo Garcia - Rumo à Boa Esperança”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.