Michel Platini deixou duras críticas ao Paris Saint-Germain pela sua filosofia recente. Em entrevista ao 'France Info', o antigo presidente da UEFA não se mostrou agradado com o domínio do emblema de Paris no futebol francês, fruto do investimento do Qatar no PSG. Platini criticava o facto de o dinheiro estar a desvirtuar o futebol como o conhecemos.

"Veja o exemplo do PSG. O presidente é do Qatar [Nasser al-Khelaïfi], o diretor-desportivo é brasileiro [Leonardo], o treinador é alemão [Thomas Tuchel], e têm um jogador francês na equipa [Mbappé]. Chama-se Paris Saint-Germain porquê? Porque, entre uma grande população, há 400 mil pessoas que gostam do clube? Tudo bem. Desse modo também podia chamar-me Coca-Cola, ou qualquer outra coisa", criticou.

O antigo presidente da UEFA defendeu que a principal liga francesa devia limitar o número de estrangeiros por clubes. Ainda na mesma entrevista, Platini criticou o facto de serem os clubes mais ricos da Europa a vencer as principais provas da UEFA, fruto do desequilíbrio financeiro vigente.

"Hoje, basta comprar os melhores jogadores para ganhar. Tudo depende do dinheiro. O dinheiro mata a filosofia do futebol. Quando se é presidente da UEFA, queres que todos estejam a competir nas tuas competições e que todos tenham hipóteses de vence-las. Neste momento é difícil que tal aconteça", terminou o dirigente francês,

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.