Edinson Cavani falou esta segunda-feira à rádio uruguaia 'Radio Montecarlo' sobre a sua situação no Paris Saint-Germain e da recente polémica com Neymar durante o jogo Brasil-Uruguai.

O avançado uruguaio foi o convidado especial da referida rádio e começou por falar das dificuldades do treinador do PSG para 'ligar' os jogadores no ataque e na defesa.

"Temos três jogadores que são tecnicamente importantes e é normal que todos queiramos marcar. O papel do treinador é ligar os seus jogadores, no ataque e na defesa. Tuchel falou connosco, às vezes faz isso, mas creio que não é fácil", começou por dizer Cavani antes de abordar as dificuldades de Tuchel para retirar o melhor rendimento do trio ofensivo do PSG constituído por Kylian Mbappé e Neymar.

"Sabes que não é fácil para o treinador, mas creio que o trabalho, pouco a pouco, terá os seus frutos. Todos queremos entender o que é o melhor, o que se pode fazer pela equipa e para termos êxito juntos para conseguir conquistar coisas importantes. . Só assim poderemos conquistar coisas importantes. Quanto mais rápido entendermos isso, melhor, porque não podemos continuar assim", atirou o avançado uruguaio.

Já em relação à alegada polémica com Neymar Jr. durante o jogo particular com o Brasil, Cavani desvalorizou totalmente o incidente e garantiu que vê o internacional brasileiro como um irmão.

"São coisas que acontecem no futebol. Somos amigos, irmãos. Mas queres ganhar e defender a tua seleção... Não fiz nada, não lhe toquei, fui vê-lo e disse-lhe que não lhe tinha tocado, só isso", frisou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.