O Rio Ave, da I Liga portuguesa de futebol, anunciou hoje uma parceria solidária com a Associação Portuguesa de Paramiloidose, em que divulgará a imagem e o trabalho da instituição nas camisolas de jogo durante a presente temporada.

A iniciativa, que faz parte do projeto Rio Ave Social, entra em vigor já no jogo desta quinta-feira, para a Liga Europa, frente aos bósnios do FK Borac, em que o logótipo da associação, que apoia, a nível nacional, portadores desta doença, vai surgir na parte de trás das camisolas do clube.

Depois de na temporada passada ter promovido o trabalho da associação Abraço, os responsáveis do Rio Ave decidiram, desta vez, enaltecer o trabalho de uma instituição com sede em Vila do Conde.

"Sendo uma associação sediada na cidade, e que já há muitos anos vínhamos a acarinhar, foi uma ligação natural. Queremos ajudar a divulgar o seu trabalho meritório no combate a esta doença e também as iniciativas que promovem", disse o presidente do Rio Ave, António Silva Campos.

Já Carlos Figueiras, líder da Associação Portuguesa de Paramiloidose, que chegou a jogar nas camadas jovens do Rio Ave, reconheceu a importância do mediatismo do Rio Ave para promover a instituição, considerando que o clube "é um orgulho e uma inspiração" para todos que integram a associação.

A divulgação desse trabalho da instituição será feito já quinta-feira, a nível internacional, nas camisolas que os atletas vila-condenses vão envergar no duelo com os bósnios do FK Borac, para o qual o experiente guarda-redes Pawel Kieszek descartou uma eventual vantagem teorica do Rio Ave.

"Não há favoritos, mas no campo temos de mostrar que somos melhores e entrar com vontade de ganhar. Não sabemos com estamos, porque ainda não tivemos um jogo oficial, ao contrário do Borac, que já está em competição, mas temos de dar o nosso melhor, sabendo que vai ser complicado", disse o experiente guardião polaco.

Kieszek, que integrou o plantel do FC Porto que em 2011 venceu a competição, frente ao Sporting de Braga, considerou que a equipa vila-condense precisa "de mais tempo" para se adaptar às ideias do novo técnico Mário Silva, não acha preponderante o desfecho deste duelo europeu com o FK Borac, para o desenrola da época do Rio Ave.

"Se ganharmos este jogo por 5-0 não seremos uma equipa fantástica, como também não seremos maus se o perdermos. Precisamos ainda de mais tempo para melhorarmos os processos, mas estamos confiantes que podemos vencer", vincou.

A comitiva vila-condense parte esta quarta-feira para a Bósnia Herzgovina, num voo privado que sai do aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, diretamente para a cidade de Banja Luka.

A partida entre o Rio Ave e FK Borac, da segunda eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga Europa, está agendada para as 20:00 locais (19:00 em Lisboa), e terá arbitragem do belga Jonathan Lardot.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.