Paulo Sérgio deixou elogios ao adversário, que considerou uma "equipa boa e bem estruturada", e lembrou o "perigo" de um golo marcado fora, uma hipotética vantagem que a equipa lusa não conseguiu em Israel, embora considere que "a eliminatória continua em aberto".

"O que servia para nós serve para eles (golos fora) e por isso o jogo será difícil e perigoso. Vamos ter de fazer um jogo completo, do primeiro ao último minuto, sabendo que poderá ter 120 minutos, e jogar com equilíbrio, organização, mas também arrojo", disse.

Os atletas Carlitos e William, ausentes por lesão do jogo da primeira "mão" (derrota por 1-0 em Israel), estão recuperados e são opções para o ataque, numa equipa "menos desgastada" e que vai ter de marcar dois golos, sem sofrer, para resolver a eliminatória no tempo regulamentar.

Paulo Sérgio confirmou ainda a utilização de Cristiano no "onze" e, em relação à estratégia, adiantou: "No primeiro jogo, demos-lhe a bola e elas souberam tê-la. Vamos ver agora como eles se portam sem ela".

O técnico pacense deixou igualmente um convite aos adeptos do Paços de Ferreira para apoiarem a equipa no D. Afonso Henriques, em Guimarães, sem esconder que "esperava mais gente" no jogo na eliminatória anterior, com o Zimbru Chisinau, apesar de ser "uma altura de férias".

O Paços de Ferreira defronta quinta-feira os israelitas do Bnei Yehuda, em vantagem na eliminatória de acesso ao "play-off" da Liga Europa, depois de ter ganho o jogo da primeira "mão" por 1-0.

O jogo vai ser disputado no D. Afonso Henriques, em Guimarães, "casa" emprestada pelo Vitória, pelas 21:00, e será arbitrado pelo macedónio Aleksandar Stavrev. 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.