O Wrexham FC, o clube da cidade, recebeu o FC Porto na época 1984/85 para a Taça das Taças e bateu os “dragões”, finalistas vencidos pela Juventus na edição anterior, por 1-0, na temporada de estreia de Paulo Futre e de Artur Jorge como treinador.

Na segunda mão, a equipa galesa, que na altura militava na quarta divisão do futebol inglês, recuperou de uma desvantagem de 3-0 e terminou o jogo perdendo por 4-3, eliminando a equipa portuguesa graças aos golos fora.

Apesar de não possuirem troféus europeus, os "azuis e brancos" já eram reconhecidos na altura como um dos grandes do futebol, que provaram na conquista, dois anos depois, da Taça dos Clubes Campeões Europeus, em 1987.

“Nunca pensámos que iríamos ganhar, nós já estávamos contentes por estar na competição”, recordou Geraint Parry, administrador do Wrexham FC e um dos cerca de quatro mil adeptos que assistiu ao jogo contra o FC Porto na altura.

Na segunda mão, Parry viajou de comboio até ao estádio das Antas e “delirou” com o golo de Barry Horne nos últimos minutos da partida que garantiu a qualificação.

Mas a alegria terminou com a derrota às mãos da AS Roma de Sven-Goran Eriksson na eliminatória seguinte.

Ainda assim, o feito contra o FC Porto ainda hoje é recordado como um dos maiores momentos da história do clube, criado em 1872 por membros do clube de críquete local.

O livro do recordes do Guinness reconheceu o título em 2008 de proprietários do estádio internacional mais antigo do mundo, 131 anos depois de o País de Gales perder (2-0) com a Escócia, em 1877.

Além do críquete, o mesmo espaço foi usado para corridas de cavalos, a que o nome Racecourse faz referência, combates de boxe e até luta livre entre mulheres.

Actualmente, é usado exclusivamente para o futebol, não só pelo Wrexham, como também por outros clubes do norte do País de Gales com condições para jogos internacionais.

Na terça-feira, The New Saints (TNS) foram derrotados neste campo (3-1) pelo Anderlecht, na primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões.

Na semana anterior foi também no Racecourse que o Bangor City obteve a vitória épica contra o Honka (3-2), que assegurou a passagem à eliminatória onde enfrenta o Marítimo, na quinta-feira.

Foi a primeira vez que uma equipa galesa chegou à terceira ronda de uma competição europeia, mas as hipóteses de continuarem são quase nulas.

Depois da vitória por 8-2 na primeira mão, no Funchal, os “verde rubros” têm a oportunidade de reabilitar a reputação do futebol português neste estádio.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.