No contrato de cedência do seu estádio ao Marítimo, em virtude das obras de remodelação do Estádio dos Barreiros, surgiram algumas dúvidas sobre a utilização do parque de estacionamento coberto do Estádio da Madeira, com capacidade para 700 lugares.

Em virtude disso, o parque esteve fechado na última eliminatória, em que o Marítimo defrontou o Sporting Fingal (Irlanda do Norte), o que condicionou muito o estacionamento na zona da Choupana, afectando o conforto dos espectadores, que foram obrigados a estacionar em plena estrada a muitos minutos do estádio.

O Nacional refere agora que o parque estará aberto, a partir das 17:30, e que será cobrada entrada a todos os utentes, de acordo com a seguinte tabela de preços: cinco euros para sócios do Nacional com quota em dia e 10 euros para os restantes utilizadores, ou seja, para a grande maioria dos espectadores, que serão, seguramente, adeptos do Marítimo.

Este é mais um desenvolvimento na problemática cedência do estádio dos “alvi negros” aos rivais “verde rubros”, tanto que muitos madeirenses não entendem que, embora ambos os estádios sejam propriedade jurídica dos dois clubes, foi o orçamento regional que suportou, em grande escala, as obras de construção dos mesmos.

Adeptos de ambos os clubes afirmam que esta situação apenas deriva das péssimas relações pessoais existentes entre os presidentes dos dois clubes madeirenses, Rui Alves (Nacional) e Carlos Pereira (Marítimo).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.