Bruno Lage, treinador do Benfica, fez a antevisão à partida da próxima quinta-feira frente ao Shakhtar Donetsk, para a primeira mão dos dezasseis-avos de final da Liga Europa.

Nove golos sofridos nos últimos cinco jogos

"Não podemos esconder essa situação. Se em termos ofensivos nós queremos que o nosso guarda redes seja importante, em termos defensivos também queremos. É um problema perfeitamente identificado e vamos trabalhar para o solucionar. E é isso que temos de fazer, agarramo-nos ao trabalho, agarramo-nos ao bem feito para consolidar e em relação ao que não está bem, trabalhar, trabalhar, trabalhar"

 Período mais difícil de Lage à frente do Benfica?

"Não. Os resultados estão menos bons, mas demoramos um ano até que esse momento chegasse. Problemas e pressão, são outras coisas, isto são oportunidades. A equipa vem de três jogos sem perder, mas continuamos em primeiro. Isto já não acontecia há muito tempo, a equipa do Benfica perder seis pontos e continuar em primeiro. O importante é independentemente da competição mostramos o nosso trabalho e ganhar. Amanha é mais uma excelente oportunidade para mostrar isso. Não considero o Sharktar menos favorito. Temos a ambição de fazer um bom jogo e depois seguirmos nas competições"

Luís Castro destacou o espaço que a equipa dá nas costas da defesa como ponto fraco das 'águias'

"Cada treinador tem a sua opinião sobre aquilo que vê ao analisar a equipa, não tenho nenhuma opinião sobre isso. Independentemente disso o importante é fazermos a nossa analise. Agora vocês percebem, uma equipa que quer pressionar à frente vai deixar espaço atrás. Independentemente da tática, vão haver momentos em que as equipas me vão dar espaço para jogar"

Jogo de segunda-feira (vs Gil Vicente) pode condicionar equipa 

"Não condiciona por várias razões. Primeiro, estamos em primeiro e dependemos apenas de nós. Depois temos quatro dias de intervalo, são suficientes para os jogadores recuperarem, é o intervalo perfeito entre jogos. Jogando quinta e depois segunda-feira não há inconveniente nenhum"

Benfica candidato à Liga Europa

"Não podemos prometer nada tão prematuramente na época. O que podemos prometer é que vamos entrar determinados no jogo. Prometo sempre é não falar muito e trabalhar, quer no campo quer nas reuniões com os jogadores. É a promessa que fica"

Meio campo a três

"O mais importante, independentemente da posição dos jogadores, é a dinâmica que oferecem"

Ganhar o campeonato ou a Liga Europa?

"Se respondesse a essa pergunta, uma ou outra, o presidente metia-me fora do clube [risos]"

Utilização de Florentino, Seferovic e/ou Rafa

"São tudo soluções que temos usado. Os jogadores ainda não sabem o onze e como sabem serão sempre eles os primeiros a saber"

Marega

"Há uma uma posição oficial do Benfica, mas quero deixar a minha posição. Não é tanto uma posição sobre racismo, mas de civismo. Alguns de nós andam no futebol e não gostam do futebol. Temos de olhar para isto com um sentido de responsabilidade enorme. É uma situação que acontece, é perfeitamente normal um estádio inteiro chamar nomes a um arbitro, a um treinador e só nos apercebemos disso agora. Acho que todos os intervenientes, juntos, têm um poder muito mais forte do que aquele que pensamos. Porque um treinador entrar num campo e ter 20 ou 30 mil pessoas a insulta-lo não pode ser normal. É uma situação que serve para pensarmos nisto"

*Artigo atualizado às 18h16

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.