O 'miúdo' roubou a bola no final da partida entre o Benfica e o Eintracht Frankfurt. Não era para menos, João Félix tornou-se no jogador português mais jovem de sempre a marcar três golos nas competições europeias e o mais novo de sempre na Liga Europa.

O sangue novo de Félix acabou por levar de vencida a frieza alemã, e tudo acabou por correr de feição para o jogador de 19 anos, que se deu - para os mais distraídos - a conhecer à Europa de futebol.

Para contrariar a organização dos alemães, que tinham em Jovic o principal desequilibrador, Bruno Lage encostou Gedson a João Félix. Do lado do Benfica, as alterações foram seis, com o técnico encarnado a piscar claramente o olho à partida do campeonato frente ao V. Setúbal: Lançou no onze Cervi, Rafa, Gedson e Félix. Seferovic e Pizzi foram para o banco.

Do lado alemão, Hutter mexeu em duas pedras, apostando em Rode e Dicka. No seu habitual esquema de três defesas e com uma frente de ataque muito acutilante, - com Rebic, Jovic e Kostic -, os alemães assombraram a baliza de Vlachodimos logo nos primeiros minutos, com o Benfica encostado lá atrás e incapaz de responder à pressão imposta pela equipa de Frankfurt.

Momento - Mas ao minuto 20´que teve lugar o momento que iria mudar a história do jogo. Dicka carregou Gedson na área, após solicitação de João Félix. Resultado: Expulsão para os alemães e golo para o Benfica.

Leia a crónica da partida

O Eintracht sentiu o golo e demorou a responder, entregando a iniciativa aos encarnados. Dada a incapacidade para criar situações de perigo, o Benfica deixou que, a pouco e pouco, os visitantes crescessem na partida. Rebic deu o primeiro aviso ao minuto 39´. No minuto seguinte Jovic fez o empate depois de uma perda de bola de Fejsa, com Rebic novamente na jogada.

Contudo, ainda antes do intervalo João Félix tirou um coelho da cartola, e num míssil de fora da área bateu Kevin Trapp e deu de novo vantagem aos encarnados.

O segundo tempo foi, como se costuma dizer, impróprio para cardíacos, com mais três golos.

Logo a abrir a segunda parte, os encarnados marcaram dois golos de rajada, por Rúben Dias e João Félix (hat-trick). Com Seferovic e Pizzi já em campo, o Benfica foi à procura do quinto, tento que certamente arrumaria com a eliminatória.

Mas foi o Eintracht que ainda teve forças para ir à procura do golo e acabou mesmo por reduzir pelo português Gonçalo Paciência, que entrou na segunda parte.

O Benfica está assim em vantagem na eliminatória, naquela que foi a primeira derrota do Frankfurt em 2019.

Melhor

João Félix - O que dizer da noite do 'miúdo'. Três golos e participação no golo de Rúben Dias. Jogou e fez jogar, temporizou e pisou a relva com inteligência. Os holofotes da Europa estão apontados para si neste momento.

Gedson - Esteve muito bem no apoio a João Félix e correspondeu nessa posição. Muito inteligente taticamente, acabou por estar na origem do primeiro golo do Benfica.

Rebic - Enquanto teve pilhas, o avançado croata foi um quebra cabeças para a defesa encarnada. Esteve no lance da perda de bola de Fejsa, onde acabou por assistir Jovic para o golo.

Gonçalo Paciência

O dianteiro português tinha entrado em campo uns minutos antes, mas mereceu a aposta, marcando o golo que dá esperança ao Frankfurt para a partida da segunda mão.

Pior

Dicka

Acabou por comprometer a estratégia alemã, depois de ter cometido a grande penalidade que acabou por resultar na sua expulsão.

Reações

"Não é o Lage Effect, é o run a lot"

Adi Hutter: "João Félix é um talento raro e não vai continuar muito tempo no Benfica"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.