José Mourinho recordou o tempo em que trabalhou com Louis Van Gaal no Barcelona e confessou que aprendeu com o holandês, em particular que "para se chegar longe é preciso trabalhar muito".

"Só posso dizer bem daquela época. Parece que foi ontem, mas passaram treze anos. Não me esqueço desses anos, nem da pessoa, que foi maravilhosa comigo. Foi uma relação especial para mim e um prazer trabalhar com ele", frisou o treinador português, recordando que Van Gaal morava a 50 metros dele em Barcelona.

O técnico português, que conquistou a Liga dos Campeões em 2004, ao serviço do FC Porto, admitiu que o Inter e o Bayern "não estavam entre os candidatos" para a discussão do mais importante título europeu disputado por clubes.

"Quando começa uma temporada, é normal que todos digam que este ou aquele é mais poderoso e tem mais opções. O Barcelona é uma grande equipa e foi afastada. O Real Madrid também. O Manchester United e o Chelsea também estiverem nesta competição", afirmou.

Na final no Santiago Bernabéu, estádio do Real Madrid, José Mourinho classificou a final de sábado como o jogo mais importante da carreira, em que "todos pensaram" na equipa italiana desde o início da temporada.

Expressando confiança, o treinador relativizou o facto de o Inter não jogar a final da Liga dos Campeões há 48 anos, depois de ter vencido o Benfica, por 1-0.

"A maioria dos adeptos não se recordam ou não tinham nascido. No caso do Bayern, é diferente: 10 ou 12 anos. É uma grande responsabilidade para nós, que somos uma das equipas com um trajecto de maior êxito", disse, confessando que o Inter não preparou festejos caso vença o troféu.

"Nem festa, nem camisolas. Eles sim", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.