O ‘catedrático’ Liverpool e o estreante Tottenham, ‘impedidos’ pelo Manchester City de vencer internamente, procuram no sábado, em Madrid, a glória europeia na segunda final 100% inglesa Liga dos Campeões de futebol.

No Wanda Metropolitano, duas equipas que ‘já não se lembram’ de serem campeãs inglesas, e que quase tombaram na fase de grupos, lutam para suceder ao tricampeão Real Madrid, na certeza de que o troféu seguirá pela 13.ª vez, e sete anos depois (vitória do Chelsea em 2011/12), para terras de ‘sua majestade’.

Finalistas na época passada, derrotados por 3-1 pelo Real, num dia desastroso do seu ex-guarda-redes Lóris Karius, os ‘reds’, que contam cinco cetros em oito finais, partem como favoritos, numa época em que já bateram duas vezes os ‘spurs’.

Em 15 de setembro de 2018, impuseram-se por 2-1 em Londres, com tentos de Wijnaldum e Firmino, tendo Lamela reduzido já nos descontos, e, em 31 de março, em Anfield, o resultado repetiu-se, com Alderweireld a decidir aos 90 minutos, com um autogolo.

O conjunto que o alemão Jürgen Klopp lidera há quatro anos tem essa vantagem psicológica, sendo que, globalmente, também fez uma época bem mais consistente do que a formação comandada há cinco anos pelo argentino Maurício Pochettino.

Os ‘reds’ venceram 37 (71,2%) dos 52 jogos disputados e perderam somente sete (13,5%), enquanto os ‘spurs’ ganharam apenas 33 (57,9%) de 57 e já sofreram 19 derrotas (33,3%).

A verdade é que Klopp e Pochettino chegam com o palmarés em branco à frente dos finalistas da ‘Champions’, sendo que, para um ou outro, o ‘quase’ vai, finalmente, transformar-se num título, tal para os clubes que orientam.

O Liverpool conquistou o seu 59.º e último ‘caneco’ em 2011/12, ao vencer a Liga inglesa, também o último troféu a entrar, já há mais de uma década (2007/08), para as ‘vitrinas’ do Tottenham.

Em matéria de competições europeias, os ‘reds’ precisam de recuar a 2005, época em que venceram a Liga dos Campeões, após sensacional recuperação face ao AC Milan (3-2 nos penáltis, após 3-3 no final do prolongamento e 0-3 ao intervalo), e, depois, a Supertaça Europeia (3-1 ao CSKA Moscovo).

Por seu lado, o Tottenham necessita de andar para trás na ‘máquina do tempo’ mais de 30 anos, até 1983/84, época em que superou os belgas do Anderlecht na final da Taça UEFA.

Um ou outro vão acabar com a ‘malapata’, numa época em que estiveram muitas vezes perto de cair da ‘Champions’, inclusivamente na fase de grupos, chegando ambas à final com quatro derrotas, o pior registo na ‘era oitavos’ (desde 2003/04).

Liverpool e Tottenham só asseguraram os ‘oitavos’ na última ronda e ambos acabaram em segundo dos respetivos grupos, em igualdade pontual com os terceiros, curiosamente dois conjuntos transalpinos, passando ambos ‘in-extremis’.

Os ‘reds’ acabaram iguais ao Nápoles, que venceram em casa por 1-0 na última ronda, enquanto os ‘spurs’ somaram os mesmos oito do Inter Milão, após empatarem 1-1 em Nou Camp e beneficiarem de igual resultado do conjunto milanês na receção ao PSV Eindhoven.

Depois, a eliminar, o Liverpool passou o Bayern com claro 3-1 em Munique, após ‘nulo’ caseiro, ‘passeou’ face ao FC Porto (6-1 no conjunto dos dois jogos) e conseguiu o ‘milagre’ de afastar o FC Barcelona, com um 4-0 caseiro, após um 0-3 em Nou Camp.

Por seu lado, o Tottenham, que começou a prova com duas derrotas e um empate, afastou sem problemas o Borussia Dortmund (3-0 em casa e 1-0 fora), mas, depois, ‘penou’ face ao Manchester City (1-0 em casa e 3-4 fora), com golo salvador de Llorente, e o Ajax (0-1 em casa e 3-2 fora, após 0-2), graças a um ‘hat-trick’ do brasileiro Lucas Moura, completado aos 90+6 minutos.

Em comum, nos dois percursos, também terem ‘levado’ com duas enormes exibições de Lionel Messi, que ‘bisou’ no 4-2 do FC Barcelona em Wembley e também no 3-0 caseiro ao Liverpool, mas terá de contentar-se com a ‘sexta coroa’ de melhor marcador.

O argentino não estará na capital espanhola, mas não faltarão ‘estrelas’, de um lado e do outro, até porque o Liverpool já reativou Salah e Firmino e o Tottenham também deverá contar com a sua grande figura, o ponta de lança Harry Kane.

A final da edição 2018/19 da Liga dos Campeões, entre os conjuntos ingleses Liverpool e Tottenham, realiza-se no sábado, a partir das 21:00 locais (20:00 em Lisboa), com arbitragem do esloveno Damir Skomina.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.