A final da Liga dos Campeões de 2014 jogou-se no Estádio da Luz, em Lisboa, e colocou frente a frente Real Madrid e Atlético Madrid. Estrela maior dos 'colchoneros' na altura, Diego Costa teve de se submeter a um tratamento com "placenta de égua" para recuperar de uma lesão muscular na coxa direita a tempo de jogar.

O avançado internacional espanhol recordou esse tratamento e revelou alguns pormenores curiosos sobre o mesmo. "Disse-se muita coisa sobre a placenta de égua que era mentira. Esse tratamento foi verdadeiro, enquanto me aplicavam as descargas elétricas na perna o médico fumou dois cigarros. Foi difícil e muito doloroso. Tanto que logo a seguir corri e não sentia qualquer tipo de dor. Foram duas horas de sessões antes de voltar ao hotel. Para mim, naquela época, não havia mais nada para além da final da Liga dos Campeões. Não pensei em mais nada. Nem no Mundial, nem na época seguinte, só no jogo de Lisboa", contou Diego Costa em entrevista à ESPN do Brasil.

O resultado do tratamento, porém, acabou por não ser o desejado, com Diego Costa a abandonar o relvado da Luz ao fim de apenas os 10 minutos de jogo nessa final.

"Foi um dos momentos mais tristes da minha carreira. Antes de entrar em campo dei um salto e notei logo uma cãibra. Não estava a acreditar. Tentei aguentar, mas não consegui continuar e antes dos 10 minutos tive de sair. Preferia não ter jogador e dar o meu lugar a outro colega", recordou o avançado.

O desfecho do encontro também não lhe sorriu, com o Atlético a deixar fugir o título europeu nos instantes finais, acabando depois derrotado pelo Real Madrid de Cristiano Ronaldo, Pepe e Fábio Coentrão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.