A Juventus recebeu e venceu o Atlético de Madrid por 1-0, garantindo assim o primeiro lugar no Grupo D da UEFA Champions League. Já a formação espanhola vai discutir com o Leverkusen, na sexta e última jornada, dentro de duas semanas, a outra vaga nos oitavos-de-final.

Num jogo que despertava particular interesse aos portugueses pelo possível frente-a-frente entre Cristiano Ronaldo e João Félix, acabou por ser um argentino, Paolo Dybala, a fazer a diferença. O 'camisola 10' da Juve espalhou classe pelo relvado e assinou o único golo da partida mesmo em cima do intervalo, num livre marcado de forma superior, mas em que Oblak, guarda-redes do Atlético, podia ter feito melhor.

O encontro começou com a Juventus mais pressionante e deixou um primeiro aviso pelo inevitável Dybala aos dez minutos. O Atlético, a jogar mais na expetativa, à espera do erro do adversário, respondeu com um remate de Saul Ñíguez que Szczęsny defendeu a dois tempos.

Mas as reais ocasiões de golo foram escasseando numa pautada pelo equilíbrio. E, quando já toda a gente pensava que o nulo iria persistir até ao intervalo, Dybala marca. Livre batido da direita, de pé esquerdo, quase sem ângulo, a surpreender Oblak. Grande golo do argentino, mas o guarda-redes do Atlético podia ter feito mais.

Em desvantagem, Diego Simeone, treinador do Atlético, resolveu lançar João Félix pouco depois do arranque do segundo tempo. O Atlético melhorou, aproveitando o facto de a turma de Turim se mostrar algo desconcentrada e a perder muitas bolas no momento da transição ofensiva.

À passagem da hora de jogo houve parada e resposta com sotaque português. João Félix trabalhou bem perto da grande área da Juventus, mas viu o seu remate interceptado. Logo a seguir Ronaldo deu um ar da sua graça e, em velocidade, trabalhou bem sobre um adversário, ganhou espaço para o remate mas , de pé esquerdo, atirou muito por cima. Na jogada seguinte, João Félix não se quis ficar atrás e tentou a sua sorte de fora da área mas a bola saiu ligeiramente ao lado.

O Atlético mostrava-se melhor, mas não conseguia ameaçar verdadeiramente a baliza da Juventus e foi esta a ficar muito perto do 2-0. Recém-entrado em campo, Bernardeschi viu devolvido pelo poste um remate rasteiro que parecia levar selo de golo.

Houve ainda tempo para uma entrada mais viril de Felipe sobre Ronaldo, com o antigo defesa do FC Porto a parecer pisar o internacional português. Um lance avaliado pelo VAR, que mandou jogar.

À entrada para o quarto-de-hora final, Sarri refrescou ataque, lançando em campo Higuaín. Desta vez o 'sacrificado' não foi Ronaldo, mas sim Dybala, alvo de forte ovação por parte dos homens da casa.

Até ao fim o Atlético foi pressionando e encostou a Juventus à sua grande área. Um passe fantástico de trivela de João Félix não foi aproveitado por Correa, que ao cair do pano desperdiçou oportunidade soberana para igualar a partida.

O resultado garante a já apurada Juventus como vencedora do Grupo D, enquanto o Atlético mantém o segundo lugar e os mesmos sete pontos, vendo o Leverkusen, que bateu o Lokomotiv Moscovo no outro encontro desta quinta jornada, aproximar-se, com seis pontos. Na derradeira jornada a turma madrilena recebe os moscovitas, com Leverkusen e Juventus a medirem forças na Alemanha.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.